Esta terça-feira o comissário para a investigação, ciência e inovação, Carlos Moedas, anunciou o painel de especialistas que vai integrar os próximos grupos de alto nível (mission boards) que irão definir os termos de referência para as cinco áreas das primeiras missões de I&D definidas no programa no âmbito do próximo Programa-Quadro de Investigação e Inovação, Horizonte Europa (2021-2027).

As Missões de I&D pretendem melhorar a associação da investigação e a inovação da União Europeia a grandes desafios e necessidades da sociedade e dos cidadãos, com forte visibilidade e impacto.

Para isso, vão incluir um conjunto de ações que visam alcançar um objetivo “ambicioso e inspirador” de acordo com o Governo português, bem como quantificável no quadro temporal da próxima década, com impacto na sociedade. Desta forma, pretende-se otimizar a perceção por todos os cidadãos da relevância da atividade de I&D na Europa.

"As missões vão abordar alguns dos principais desafios que os cidadãos europeus enfrentam", clarifica Carlos Moedas. Os cinco portugueses estão distribuídos pelos grupos de alto nível, que conta cada um com 15 especialistas, incluindo o chair.

No mission board da adaptação às alterações climáticas, incluindo a transformação societal, estará Helena Freitas, da Universidade de Coimbra, enquanto que o referente ao cancro conta com Pedro Pita Barros da Universidade Nova de Lisboa.

O mission board relacionado com os oceanos, mares e águas costeiras e interiores saudáveis tem Tiago Pita e Cunha, da Oceano Azul Foundation, como um dos 15 especialistas, e Paulo Ferrão, antigo Presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, integra o painel de Cidades Inteligentes com impacto neutro no clima.

Por fim, o mission board da saúde dos solos e alimentação conta com Teresa Pinto Correia, do ICAM e da Universidade de Évora.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.