Já está a funcionar o primeiro telescópio português dedicado a operações de vigilância espacial. Com o telescópio a operar a partir da Ilha Terceira, Portugal entra no “conjunto restrito de países com capacidade real de monitorização, caracterização e seguimento de objetos que, deslocando-se em órbitas próximas à Terra, podem constituir um perigo real para as infraestruturas espaciais e para os cidadãos na superfície da Terra”, é referido no comunicado.

O programa SST, liderado pelo Ministério da Defesa Nacional a nível nacional, pretende também capacitar Portugal em áreas sensíveis e diferenciados a nível tecnológico, de modo a criar e fixar competências que contribuam para maior segurança nacional e internacional no espaço. E da mesma forma que se reforça a posição nacional na política espacial europeia.

O primeiro telescópio nacional, o AzoresTel1-S, na ilha açoriana da Terceira, onde vai também funcionar o Centro de Operações Espaciais (COpE). Prevê-se para breve o início de funcionamento, na ilha de Sta. Maria, de um segundo telescópio (sensor ótico), bastante semelhante ao AzoresTel1-S, segundo o Ministério da Defesa.

É referido que o novo telescópio da rede já captou no sábado, dia 10 de outubro, “uma imagem de elevada qualidade da galáxia Andrómeda, uma galáxia espiral localizada a mais de 2,5 milhões de anos-luz de distância da Terra”. Este satélite, na sua configuração final do sensor, terá capacidade móvel, permitindo ser utilizado em qualquer parte do mundo. Mas só a partir de fevereiro de 2021, data prevista para a conclusão do mesmo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.