A sonda Mars Express da ESA, responsável por reunir e transmitir os dados do rovers que exploram a superfície de Marte, está prestes a comemorar 19 anos desde que começou a operar. Ou se quiser, 10 anos marcianos em órbita do planeta comemorados no dia 16 de outubro, uma vez que um ano em Marte equivale a 687 dias da Terra. E desde então, a ESA diz que a sonda já transmitiu para a Terra dados para sete missões diferentes da superfície de planeta, o que diz ser um recorde único.

A ESA diz que os rovers e landers estacionados em Marte recolhem dados que ajudam os cientistas a responder a questões fundamentais sobre a geologia, atmosfera, ambiente da superfície, a história da água e claro, o potencial para a descoberta de vida no planeta. Mas é preciso que esses dados cheguem à Terra. Primeiro são transmitidos para a sonda em órbita de Marte, que depois utiliza os seus transmissores para enviar os dados para os cientistas na Terra.

Veja algumas fotografias captadas pelo Perseverance em Marte:

“Estamos orgulhosos pelo papel que o Mars Express tem na rede de transmissão de dados durante tantos anos, tendo suportado tantos aparelhos na superfície”, disse James Godfrey, gestor de operações do Mars Express na ESA. Mas acrescenta que a rede continuará a ser vital para suportar futuras missões ao planeta vermelho, tais como trazer as amostras de Marte.

Atualmente, a Mars Express está a realizar testes para enviar para a Terra os dados recolhidos pelo Perseverance da NASA. Mas a sua história de relação com os veículos que palmilham Marte data de 2004, começando com o rover Spirit, dois meses depois da sonda chegar ao planeta. Foi feita a primeira demonstração da rede de comunicações em torno de outro planeta. Para se ter uma ideia, os comandos eram dados a partir da sonda para o rover, que devolvia dados, transmitidos para a Terra. Antes disso, primeiro os comandos para o rover tinham de ser transferidos da equipa de operações do Spirit, no Jet Propulsion Laboratory da NASA, nos Estados Unidos, para a ESOC na Alemanha onde eram traduzidos em comandos para o Mars Express, depois enviados para o mesmo e por fim para o rover.

A otimização nas comunicações foi depois realizada entre o Mars Express e o rover Opportunity da Nasa, com sete testes realizados no início de 2008, baseados na experiência adquirida com o Spirit. E seguiu-se o Phoenix, que chegou ao planeta a 25 de maio de 2008, demonstrando mais uma vez a sua capacidade de transmitir os dados da superfície marciana para a Terra. E em 2012, o Mars Express voltou a ser o elo de comunicação entre os dois planetas, servindo o rover Curiosity. Também esteve ligado ao suporte do lander InSight da NASA.

Mais recentemente, a sonda da ESA tem ajudado também o rover chinês Zhurong e claro, o Perseverance, que marcou a sétima missão distinta a Marte suportado pelo Mars Express. Uma longa história, com diversos capítulos, mas que promete ter ainda muito para contar.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.