A misteriosa e maior lua de Saturno parece ter várias coisas em comum com a Terra, de acordo com o mapa global construído por uma equipa de investigadores. A imagem, publicada na revista Nature, representa uma Titã coberta de dunas, lagos, planícies, planaltos e crateras.

“Titã tem uma atmosfera como a da Terra. Tem vento, chuva, montanhas. É um mundo realmente muito interessante e um dos melhores lugares do sistema solar para procurar vida”, defende Rosaly Lopes, geologista planetária do Jet Propulsion Laboratory, que liderou a investigação.

Um brilho e comunicações desligadas. O mergulho final da sonda Cassini nos anéis de Saturno
Um brilho e comunicações desligadas. O mergulho final da sonda Cassini nos anéis de Saturno
Ver artigo

Titã é o único corpo planetário conhecido do nosso sistema solar que, além da Terra, possui líquido estável à superfície. Mas, em vez de chover água das nuvens e encher lagos e mares, o que chove é metano e etano, hidrocarbonetos considerados gases, mas que se comportam como líquidos no seu clima gelado.

"Titã possui um ciclo hidrológico ativo baseado em metano que delineou uma paisagem geológica complexa, tornando sua superfície numa das mais diversificadas geologicamente do sistema solar", explicou Rosaly Lopes, citada pela NASA.

Apesar das diferenças de materiais, temperaturas e campos de gravidade entre a Terra e Titã, há muitas características semelhantes entre os dois mundos e podem ser interpretadas como produtos dos mesmos processos geológicos. “O mapa mostra que diferentes terrenos geológicos têm uma distribuição clara com a latitude, globalmente, e que alguns terrenos cobrem muito mais área do que outros”.

A imagem que ilustra este artigo é anterior a esta análise e resulta de uma composição partilhada pela NASA com imagens de infravermelhos captadas pela sonda Cassini.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.