Em 2017, o Pentágono admitiu ter financiado um programa secreto, de vários milhões de dólares para investigar OVNIs. Embora tenha dado a conhecer que o Programa Avançado de Identificação de Ameaças de Aviação funcionou apenas de 2007 a 2012, um relatório de junho do Senado norte-americano demonstra que, afinal, a busca por fenómenos aéreos não identificados continua bem ativa.

O documento detalha que o objetivo da Unidentified Aerial Phenomenon Task Force é fazer uma recolha de todos os avistamentos de veículos aéreos não identificados e reportar algumas das descobertas ao público a cada seis meses.

É verdade que o relatório pode dar a entender que o Pentágono está ativamente à procura de visitantes extraterrestres, alimentando, em parte, as teorias da conspiração que afirmam que o Governo norte-americano sempre teve provas da existência de aliens. Contudo, a missão principal do programa é, na verdade, verificar se outros países, em especial nações “rivais” como a China ou a Rússia, estão a usar tecnologia aérea avançada para ameaçar os Estados Unidos.

EUA divulgam vídeos de "fenómenos aéreos não identificados" que alimentaram novas teorias sobre OVNIs
EUA divulgam vídeos de "fenómenos aéreos não identificados" que alimentaram novas teorias sobre OVNIs
Ver artigo

Em entrevista ao The New York Times, Luis Elizondo, antigo diretor do Programa Avançado de Identificação de Ameaças de Aviação, confirmou que a Unidentified Aerial Phenomenon Task Force é uma evolução do programa que decorreu entre 2007 e 2012. “[A Task Force] não tem mais se esconder nas sombras”, indicou, acrescentando que terá agora um novo nível de transparência.

Recorde-se que em abril, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos publicou oficialmente três vídeos que demonstram fenómenos aéreos não identificados ocorridos em 2004 e 2015.

O vídeo mais longo tem a duração de 1,16 minutos e mostra um fenómeno relativamente estático até desaparecer do radar. O ficheiro foi publicado com a designação "Flir" na bibilioteca virtual da Marinha.

Depois de uma análise minuciosa, o Departamento decidiu liberá-los, uma vez que a sua publicação não afetava as investigações que estavam a ser feitas acerca de avistamentos de veículos aéreos não identificados no espaço aéreo militar. Já nos outros dois vídeos, mais curtos, é possível avistar dois objetos bem mais "irrequietos".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.