A SpaceX e a Rocket Lab tiveram um domingo “em cheio”. Apesar de alguns atrasos devido a condições atmosféricas pouco ideais, a empresa liderada por Elon Musk conseguiu cumprir a proeza de aterrar o primeiro estágio reutilizável do Falcon 9 em terra pela segunda vez neste ano. Já a Rocket Lab superou o falhanço da última missão de julho, conseguindo colocar o satélite Sequoia em órbita à “boleia” do foguetão Electron.

A bordo do Falcon 9 da SpaceX seguiam os satélites Saocom 1B, da Comissão Nacional de Atividades Espaciais da Argentina, assim como o Tyvak-0172 e o GNOMES-1. O foguetão partiu com sucesso do Cabo Canaveral, na Flórida, por volta das 19h19 (hora local), o que equivale às 00h19 de Portugal Continental.

Oito minutos depois, o primeiro estágio reutilizável fez uma aterragem exata na Landing Zone 1, a cerca de 11 quilómetros da zona de lançamento.  A última vez que a SpaceX conseguiu realizar uma proeza semelhante foi em março deste ano, quando o Falcon 9 regressava de uma missão de reabastecimento da Estação Espacial Internacional, a última que contou com a cápsula Dragon 1.

O lançamento tornou-se ainda mais especial uma vez que foi o primeiro desde 1969 a voar numa trajetória pouco comum em direção ao polo sul. Depois de voar sobre o oceano Atlântico, na direção sul-sudeste, o foguetão seguiu o seu rumo voltando para oeste. A manobra assegurava que, no caso de um acidente, o Falcon 9 não se despenharia sobre a Florida.

Lançamento SpaceX | 30 de agosto de 2020
créditos: SpaceX

Do outro lado do mundo, o foguetão Electron da Rocket Lab foi lançado para o Espaço com sucesso a partir das instalações da empresa na península de Mahia, na Nova Zelândia, pelas 11h05 locais (por volta das 04h05 em Portugal Continental).

A missão foi apelidada I Can’t Believe It’s Not Optical devido à configuração das lentes usadas pelo satélite Sequoia. A Rocket Lab explica que o equipamento desenvolvido pela norte-americana Capella terá como função captar imagens detalhadas da superfície da Terra que serão usadas em áreas como agricultura, monitorização de infraestruturas ou ainda para a preparação de respostas em casos de desastre.

Rocket Lab: lançamento do foguetão Electron termina em desastre
Rocket Lab: lançamento do foguetão Electron termina em desastre
Ver artigo

Recorde-se que o acidente da Rocket Lab registado em julho ocorreu após 11 lançamentos bem-sucedidos. O incidente resultou na perda do foguetão e de sete satélites que seguiam a bordo.

Mas nem todos os lançamentos marcados para o dia 30 de agosto tiveram um final feliz. A United Launch Alliance (ULA) viu-se obrigada a abortar o lançamento da missão NROL-44 três segundos antes de o foguetão Delta IV partir para o Espaço.

Para já, ainda não é claro qual foi o problema que levou ao súbito cancelamento do lançamento, mas a ULA avança que voltará a repeti-lo daqui a sete dias. A bordo do foguetão Delta IV seguia um satélite do National Reconnaissance Office dos Estados Unidos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.