A DeepMind anunciou que o AlphaStar, o sistema de inteligência artificial que treinou para jogar StarCraft II, é agora capaz de derrotar 99,8% dos jogadores humanos do título de estratégia da Blizzard. Os investigadores da empresa da Google publicaram as conclusões da sua mais recente experiência na revista científica Nature.

O “atleta virtual” atingiu o nível de Grandmaster, salientado pela empresa durante a BlizzCon, que decorreu este fim-de-semana, mesmo seguindo todas as regras dos torneios profissionais e seguindo uma forma de jogar que se assemelha mais à de um jogador humano. A empresa de IA indica que o sistema apenas consegue visualizar uma parte específica do mapa e a interface está limitada a um número restrito de cliques do rato.

Para treinar o AlphaStar, a DeepMind recorre à alimentação do sistema com repetições das partidas feitas pelos jogadores profissionais no treino das redes neurais. A informação serve para criar “agentes” de IA que competem entre si gerando dados originais, aquilo que foi chamado de AlphaStar League.

IA DeepMind volta a dar uma “coça” a jogadores profissionais de StarCraft II
IA DeepMind volta a dar uma “coça” a jogadores profissionais de StarCraft II
Ver artigo

Em janeiro deste ano, o AlphaStar já tinha vencido duas equipas profissionais de StarCraft II. Após 10 vitórias seguidas, em cinco partidas contra os grupos TLO e MaNa, é que o “atleta virtual” concedeu a primeira vitória aos jogadores humanos. No entanto, na altura, o sistema de IA da DeepMind tinha algumas vantagens, tal como detetar rapidamente os movimentos dos inimigos ou não estar limitada fisicamente pela quantidade de movimentos.

Os investigadores da DeepMind indicam também que os avanços no AlphaStar são a prova de que o método por eles desenvolvido poderá ser utilizado no futuro para treinar robots, carros autónomos ou sistemas de reconhecimento de imagens.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.