Na edição de 2018 da Web Summit, a Volkswagen anunciou que Lisboa poderia ser a primeira cidade do mundo a usar os serviços de computação quântica para tentar otimizar o tráfego. Esta terça-feira o Grupo confirma que isso vai acontecer já durante a próxima semana, entre os dias 4 e 8 de novembro, dias coincidentes com a conferência.

No comunicado disponível no site, o Grupo explica que são nove os autocarros da marca MAN, que fazem parte do Grupo e da frota da Carris, que vão participar no que diz ser o "primeiro projeto-piloto do mundo para otimização de tráfego através de um computador quântico". Para cumprirem com a sua missão, os veículos vão ser equipados com um sistema de gestão de tráfego que recorre a um computador quântico, o D-Wave, que calcula a rota mais rápida para cada um dos nove autocarros que participam na experiência individualmente e "quase em tempo real".

Entre as vantagens, a empresa faz referência à "redução significativa" de tempos de viagens dos passageiros, mesmo durante períodos de muito trânsito. Para o projeto-piloto em Lisboa foram selecionadas 26 paragens de autocarro, de quatro rotas. Uma destas rotas vai fazer a ligação entre o Marquês de Pombal e o Parque das Nações, onde decorre a Web Summit na próxima semana.

D-Wave: como a “magia” acontece

Supercomputadores e computação quântica já estão a dar provas em Portugal
Supercomputadores e computação quântica já estão a dar provas em Portugal
Ver artigo

O sistema D-Wave, desenvolvido em parceria com o Grupo, a Google e da D-Wave, faz as contas a partir dos dados anónimos, das paragens com maior número de passageiros nas horas de ponta. Depois de obter essa informação, o sistema calcula qual será a rota mais rápida para um determinado percurso e permite que o autocarro evite filas de trânsito antes mesmo de elas surgirem.

A confirmação deste projeto-piloto surge depois da abertura do Centro de Desenvolvimento de Software em Lisboa durante o Web Summit. No futuro, a empresa alemã pretende levar este tipo de projetos-piloto de gestão de tráfego para fora de Portugal, nomeadamente para várias cidades alemãs e noutros países da Europa. Segundo o Grupo este sistema poderá ser utilizado por empresas de transportes públicos, cooperativas de táxis e gestores de frota.

A importância da visualização de dados em tempo real na transformação dos centros urbanos atuais nas cidades inteligentes do futuro também vai ser um tema destacado pela Siemens durante o Web Summit, que decorre no Parque das Nações entre 4 e 7 de novembro. A empresa vai apresentar um gémeo digital de Lisboa, feito através de 20 fontes diferentes de dados sobre a cidade, como rotas de cruzeiros, estações de carregamento de veículos elétricos e ciclovias.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.