Na China, 364 milhões de perfis de utilizador são processados diariamente, para fins de monitorização por parte das autoridades. No entanto, este programa de vigilância apresenta fragilidades no que respeita à protecção dos dados pessoais de acessos externos.

De acordo com o Financial Times, Victor Gevers, da organização de cibersegurança GDI Foundation, conseguiu aceder aos dados de utilizador de seis plataformas de social media – entre as quais o We Chat, a mais popular na China. Toda essa informação estaria armazenada em servidores disponíveis através da internet para quem tivesse conhecimentos para realizar a sua procura. Assim sendo, toda a informação pessoal de centenas de milhões de utilizadores esteve exposta, durante um período de tempo indeterminado, a um eventual ataque de piratas informáticos que a poderia ter utilizado para outros fins.

Esta descoberta veio reforçar toda a preocupação relacionada com a fraca segurança informática na China e confirmar a necessidade e urgência de progressos nessa área.

De recordar que ontem, a chinesa Huawei abriu em Bruxelas o Centro de Transparência para Cibersegurança, de forma a ajudar a estabelecer objetivos ligados à cibersegurança.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.