É a história comovente de uma dachshund (raça conhecida como “salsicha”), de nove anos chamada Patches, que foi diagnosticada com um tumor cerebral que cresceu até ficar do tamanho de uma laranja. Era tão grande que o seu crânio inchou e “parecia um unicórnio”, refere a sua dona. A doença teria sido fatal se não fosse tratada e isso obrigou à remoção de quase 70% da estrutura craniana.

A mascote foi encaminhada para a Universidade de Ontário, sendo submetida a um “transplante” radical de um crânio impresso a 3D, através de uma técnica referida como pioneira na medicina veterinária, avança a CBC News. Se a cadela fosse tratada de uma forma convencional, seria colocada uma carapaça de titânio no lugar do crânio removido. Para além de impreciso, esta operação teria custos elevados, para além de um processo demorado. Ao ser construída uma estrutura personalizada em titânio, o resultado é bem mais perfeito, como pode comprovar pelas fotografias na galeria.

Os investigadores começaram por fazer uma tomografia computadorizada, obtendo uma imagem clara da cabeça e tumor da Patches. Depois foram utilizados diferentes programas para “limpar” digitalmente o tumor do crânio, conseguindo assim mapear os locais de encaixe da impressão 3D e as zonas de perfuração para prender com parafusos. O modelo 3D do crânio foi impresso em Londres, na ADEISS, uma empresa especialista em impressões na área da medicina, em cerca de duas semanas.

Algumas semanas depois do processo, a cadela Patches está curada do tumor e a forma da sua cabeça voltou ao normal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.