As gráficas da Nvidia, têm sido altamente procuradas no mercado das criptomoedas. O modelo está esgotado em vários países e embora isto possa parecer positivo para a marca, a mesma acredita que, a longo prazo, esta escassez, que acaba por frustrar o seu público-alvo (gamers), não a beneficiará. Por isso, a empresa decidiu cortar, para metade, a performance da sua próxima coqueluche, a GeForce RTX 3060, na mineração de Ethereum.

Quando chegar ao mercado, a 25 de fevereiro, a gráfica vai conseguir detetar o algoritmo de mineração da criptomoeda e ajustar a sua performance em resposta. A Nvidia espera que, desta forma, a placa se torne menos atrativa para o mercado das cripto, o que deverá levar a um aumento no stock disponível para os jogadores.

Opinião: Criptomoedas. Em 2021, as moedas digitais ganham novo fôlego
Opinião: Criptomoedas. Em 2021, as moedas digitais ganham novo fôlego
Ver artigo

Para fazer frente à procura por gráficas para efeitos de mineração de moedas digitais, a tecnológica vai lançar um processador especificamente desenvolvido para tal. O chip CMP não serve para processar imagem, uma vez que não tem sequer uma entrada de vídeo, mas é exatamente isso que lhe permite garantir um maior fluxo de ar, por exemplo, que é essencial para a mineração de criptomoedas.

As primeiras propostas deste segmento garantem 26 megahash por segundo e 36 megahash por segundo, sendo que no segundo trimestre do ano deverão ser disponibilizadas versões capazes de velocidades de mineração na ordem dos 90 megahash por segundo.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.