A ação decorre nos Estados Unidos. Reúne utilizadores do leitor de música digital da Apple, que podem vir a receber uma indemnização total de 350 milhões de dólares.


A acusação alega que a Apple violou a legislação da concorrência ao bloquear completamente a utilização de outros serviços de música no iPod entre 2006 e 2009, traçando o utilizador na sua plataforma e tentando por diversas vezes aumentar o preço dos produtos sem permitir alternativas.


Sempre que um utilizador tentasse usar outro serviço de música, que não o oficial da Apple, o leitor de música dava um erro, que só podia ser corrigido com a reposição dos valores originais de fábrica.

Rod Schultz, um antigo engenheiro da empresa da maça, foi uma das últimas testemunhas ouvidas no caso e confirmou que quando estava na Apple trabalhou num projeto que tinha como único objetivo garantir que o iPod só reproduzisse ficheiros áudio com o DRM da Apple. Como revela agora o The Wall Street Journal, o engenheiro trabalhou neste projeto Candy até 2008.


A Apple não nega a criação de um sistema fechado, mas assegura que o fez por questões de segurança. A empresa também é questionada pela opção de não informar o cliente dessa escolha, uma decisão que foi já considerada normal por uma das responsáveis inquiridas, considerando que a partilha de dados sobre essa opção da marca só serviria para baralhar o consumidor.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.