A medida faz parte do Plano Global Estratégico de Racionalização e Redução de custos nas TIC (PGERRTIC) que foi desenhado pelo Governo no ano passado e aplica-se na avaliação prévia de projetos de investimento e despesas em Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) acima dos 10 mil euros.

André Vasconcelos, responsável pela direção do Governo Eletrónico na Agência para a Modernização Administrativa (AMA), partilhou ontem no Linux 2013 - o encontro sobre tecnologia aberta - alguns números que resultam da aplicação de algumas das 25 medidas deste plano, com destaque para a Medida 6 (que prevê a avaliação dos projetos) e a Medida 21, através da qual se promove a adoção de software aberto.

Traçando algumas das razões que levaram ao plano e que estiveram na base das medidas adotadas, o responsável da AMA apresentou um quadro com as poupanças conseguidas através da Medida 6, quer pela reprovação de despesas e projetos (com poupança de 3,5 milhões de euros), quer pelo desalinhamento com representação ministerial (5,1 milhões de euros).

Para as poupanças contribuem ainda o bloqueio ou realinhamento de projetos desalinhados com o DL107/2012 (1,8 milhões), a redução remuneratória (1,95 milhões). Na análise técnica foram poupados 472 milhões de euros e em negociações com fornecedores foram poupados 286 milhões de euros.

Todos os números dizem respeito ao período do último ano, desde que o PGERRTIC entrou em vigor e a avaliação se tornou obrigatória.

A propósito da implementação de software open source na Administração Pública, integrado na Medida 21, André Vasconcelos partilhou também alguns números de poupanças conseguidas em vários organismos que serviram de piloto, como o IGAC, um caso que o TeK já referiu anteriormente, e no ACIDI - Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, que mudou o sistema de correio eletrónico para Zimbra e está a preparar a migração das ferramentas de produtividade para Open Office.

André Vasconcelos aponta o elevado potencial que existe de crescimento do open source na Administração Pública, até porque um levantamento feito em Novembro de 2012 em 7 ministérios indica que só 4% das bases de dados eram open source.

No mesmo evento foram partilhados outros casos de adoção de software open source em organismos públicos e os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde venceram ontem o Prémio Abertura.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.