A possibilidade de realizar tarefas remotamente num determinado PC de uma rede, mesmo que este esteja completamente desligado, é uma das principais vantagens da tecnologia vPro da Intel, detalhada hoje em Lisboa pela empresa.



A par com esta novidade, que a Intel espera contribua significativamente para incrementar a segurança das organizações e melhorar os tempos de reparação de incidentes, a nova plataforma desktop para o mercado empresarial introduz tecnologia de virtualização, fornecendo um melhor suporte para máquinas que corram mais do que um sistema operativo e permitindo a criação de realidades completamente autónomas.



As novas funcionalidades são o reflexo da disponibilização da segunda geração da tecnologia Intel Active Management, da tecnologia Intel Virtualization, suportadas no novo chipset Q965 Express e na ligação Intel 82566 DM Gigabit Network.



Frederico Rocha, responsável da Intel em Portugal, não adiantou números da introdução da tecnologia no mercado local, mas realinhou o roadmap da empresa para o próximo ano, voltando a sublinhar que a Intel pretende passar para a linha de processadores portáteis as novas funcionalidades do vPro, adicionando novas funcionalidades de segurança. O responsável também sublinha a introdução no próximo ano dos novos processadores de quatro vias, que permitirão tirar melhor partido das novas tecnologias vPro.



CTO consideram utilizadores principal ameaça de segurança



A Intel preparou o desenvolvimento das novas tecnologias para o mercado empresarial com base em feedbacks da indústria que lhe permitiram apurar as principais preocupações dos administradores de sistemas.



Um dos últimos estudos realizados com esse objectivo mostra que para 74 por cento dos CTOs a segurança é a principal prioridade, embora 66 por cento reconheçam que os utilizadores são a principal ameaça a enfrentar. Setenta e sete por cento revelam-se mesmo frustrados por não conseguir passar a mensagem aos utilizadores relativamente às questões de segurança.



Sessenta e oito por cento dos inquiridos reconhecem ainda que entre os principais desafios de comunicação com os seus superiores está a sensibilização para as prioridades ao nível das TI, 57 por cento mostram-se mesmo incapazes de passar casos de sucesso relevantes a chefias de áreas não técnicas.



O estudo apresentado pela Intel foi elaborado pela Coleman Parkes e envolveu 900 responsáveis TI em nove países europeus.



Os primeiros equipamentos vPro começaram a ser comercializados no início deste mês.



Notícias Relacionadas:

2006-09-08 - Plataforma vPro da Intel integra PCs empresariais

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.