O governo britânico tem planos para implementar um sistema eletrónico de monitorização de criminosos que vai ter por base um conjunto de sensores GPS, capazes de comunicar às autoridades a localização exata dos seus utilizadores. A polícia quer, com isto, garantir um ponto de vigilância permanente para os criminosos que estejam a braços com a justiça, de forma a tornar mais eficiente o seu acompanhamento.

O sistema vai ser aplicado em Inglaterra e no País de Gales até ao fim do verão deste ano, mas já existem algumas regiões a utilizá-lo. Atualmente, a monitorização eletrónica está a ser utilizada para para garantir que os utilizadores frequentam as sessões de reabilitação e que não ultrapassam os limites geográficos definidos pela prisão domiciliária.

O governo estima que, por ano, cerca de 4 mil pessoas venham a receber este sensor, mas explica que nunca existirão mais de mil pessoas a utilizá-lo em simultâneo.

A utilização de um sensor GPS que garante comunicações permanentes com uma central de controlo faz levantar algumas questões éticas, embora o governo acredite que o sistema pode beneficiar tanto a justiça como o recluso. Por um lado, explica, será possível identificar o utilizador com mais precisão, o que, em consequência, pode traduzir-se numa redução da pena aplicada, uma vez que a polícia não precisa de encarcerar o infrator para o manter sob vigilância.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.