A notícia surgiu este fim-de-semana no Expresso e aponta a existência de vários erros ortográficos num jogo educativo que integra a partição de Linux no Magalhães, o Linux Caixa Mágica Mag. O Ministério da Educação já lançou um manual de desinstalação desta aplicação para pais e professores e pediu a remoção do mesmo das máquinas que serão instaladas pela JP Sá Couto.

A aplicação em causa é o GCompris, onde terão sido detectados diversos erros ortográficos no menu de ajuda, falhas que o Ministério da Educação considera “intoleráveis”.

A empresa responsável pelo Linux Caixa Mágica Mag, a versão de Linux instalada nos computadores Magalhães, já reagiu à notícia, referindo em comunicado que “por falha humana da parte da Caixa Mágica, parte da tradução desta aplicação não foi validada”. Este era um passo necessário depois do processo de tradução automática.

No mesmo comunicado a Caixa Mágica adianta que foram já realizadas duas correcções ao pacote de software Gcompris, uma a 22 de Outubro de 2008 e outra a 10 de Janeiro deste ano, que resultaram de um controlo de qualidade interno. Porém estas correcções só se aplicaram aos Magalhães que têm acesso à Internet atavés do sistema de actualizações automáticas.

A Caixa Mágica lembra ainda que “existem 1.236 aplicações de software diferentes e um manual de Caixa Mágica em português de 230 páginas” e que os erros foram apontados em apenas uma aplicação de software, o GCompris.

Esta aplicação será agora removida dos Magalhães que ainda não foram distribuídos, tendo sido elaborado um manual de instruções pela Direcção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular (DGIDC) que permitirá aos pais e professores desinstalar de imediato a aplicação. Este manual foi enviado aos jornalistas em formato PDF com data de 6 de Março, mas ainda não se encontra online no site deste organismo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.