O Jornal de Notícias avançou com a informação de que o Metro do Porto vai arrancar com um projeto-piloto que visa detetar passageiros que não pagaram bilhete. A tecnologia, da responsabilidade da Hitachi Consulting, utiliza sensores alimentados por inteligência artificial capazes de detetar ações, movimentos e as direções dos passageiros no seu percurso de acesso ao metropolitano, de “forma a não invadir a sua privacidade”, como é referido.

Para já, o sistema vai arrancar na estação do metro da Casa da Música e não foi referido o que acontece quando os sensores detetam um passageiro sem o título de transporte.

O projeto da Hitachi custou 100.000 euros e estará em funcionamento até setembro. Terminando o período experimental, a administração do Metro do Porto irá decidir se expande a tecnologia por todas as 15 estações da rede da cidade, ou apenas algumas das paragens.

Segundo avança o jornal, esta medida de controlo dos passageiros foi encomendada pelo Metro do Porto, para combater as infrações e aumentar a venda de bilhetes, já que não existem barreiras de acesso ao metro. O concurso para o melhor sistema foi feito na plataforma Inocrowd,  tendo vencido a Hitachi Consulting.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.