Milhares de trabalhadores protestam contra envolvimento da Google em projeto militar

A empresa está a desenvolver um sistema de machine learning que vai ajudar as forças armadas a automatizar o processo de análise das imagens captadas por drone.
Milhares de trabalhadores protestam contra envolvimento da Google em projeto militar

Cerca de 12 trabalhadores da Google apresentaram demissão devido ao envolvimento da empresa num projeto militar, que está a beneficiar com o conhecimento da tecnológica no sector da inteligência artificial. A tecnologia está a ser adaptada aos intentos belicistas de um drone que está a ser desenvolvido no Pentágono sob o nome de código Project Maven. Outros 4 mil colaboradores subscreveram uma petição que exige o fim da colaboração entre ambas as partes. O documento pede ainda que a gigante norte-americana não participe em trabalhos semelhantes no futuro.

Cientistas querem garantir proibição de robots militares com inteligência artificial
Cientistas querem garantir proibição de robots militares com inteligência artificial
Ver artigo

A imprensa internacional adianta que o Project Maven tem o objetivo de ajudar as forças armadas a analisar imagens captadas por drone através de sistemas de machine learning, capazes de identificar pessoas e objetos. Desta forma, seria possível filtrar filmagens para uma análise humana posterior.

Os demissionários justificaram a sua decisão com questões éticas, uma vez que se sentem desconfortáveis por trabalhar numa empresa que utiliza as suas capacidades de forma irresponsável, e que se envolve profundamente com as esferas políticas e militares dos EUA.

De acordo com o Gizmodo, os trabalhadores alegam que a Google tem sido cada vez menos transparente com os seus colaboradores, no que toca a decisões sensíveis, e sublinham que a tecnológica parece cada vez menos preocupada com as objeções feitas pelo staff.

A empresa alega que a tecnologia que está a ser utilizada pelo Pentágono neste projeto está disponível em regime open-source, e que poderia ser utilizada livremente pelo Estado independentemente do seu envolvimento. A Google explicou ainda que esta colaboração não está a produzir quaisquer ferramentas que possam ser utilizadas em operações de combate.

Veja também

Comentários

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos ao seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.