Cerca de uma centena de tablets em segunda mão, ou "reciclados", vendidos pela Motorola entre outubro e dezembro de 2011, chegaram às mãos dos novos donos contendo dados dos anteriores proprietários.

Credenciais de acesso ao email e redes sociais, palavas-passe e "dados pessoais efémeros" são algumas das informações que terão escapado à limpeza levada a cabo pela fabricante antes de colocar os Xoom à venda no site de oportunidades Woot.com.

A notícia é avançada por diversos meios de comunicação internacionais, na sequência de um comunicado da empresa, em que esta reconhece o problema, verificado em 100 dos 6.200 tablets comercializados através do site.

A marca estará a pedir aos clientes visados que devolvam os equipamentos. Já os utilizadores que viram os seus dados comprometidos serão "compensados" com uma subscrição de 2 anos do serviço de proteção de roubo de identidade ProtectMyID, da Experian, no valor de 382,80 dólares.

A medida pode, ainda assim, ser considerada pouco reconfortante para aqueles que viram o acesso aos seus emails, perfis no Facebook, Twitter e outros, ao alcance de estranhos. Até porque três meses é tempo suficiente para criar situações embaraçosas, caso os dados tenham ido parar às mãos de alguém com vontade de usá-los.

No comunicado oficial, emitido sexta-feira, a Motorola pede desculpas e afirma "lamentar sinceramente os inconvenientes causados pela situação".

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Joana M. Fernandes

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.