Num esforço para expandir as suas metas de exploração espacial, a NASA vai financiar 10 tecnologias de “ponto de inflexão” de seis empresas e que "têm o potencial de beneficiar significativamente a economia espacial comercial e as futuras missões da NASA", segundo um comunicado da agência.

É o terceiro ano em que a NASA concede financiamento através do seu programa "Tipping Point", assim denominado por o investimento ser feito em projetos altamente promissores, mas que necessitam do “empurrão” da agência espacial para sair do laboratório.

Trump quer ver o Homem em Marte e dá quase 20 mil milhões à NASA para o fazer
Trump quer ver o Homem em Marte e dá quase 20 mil milhões à NASA para o fazer
Ver artigo

O financiamento teve como foco três áreas estratégicas como a expansão da utilização do Espaço, permitir um transporte eficiente e seguro dentro e através do Espaço e aumentar o acesso às superfícies planetárias.

De entre as seis empresas escolhidas existem alguns nomes familiares, sendo a Blue Origin do CEO da Amazon a mais conhecida e a que leva a segunda maior fatia do bolo.

A empresa espacial fundada por Jeff Bezos e com sede em Kent, Washington vai receber 13 milhões de dólares para amadurecer a propulsão líquida criogénica através de uma combinação de tecnologias em um sistema de propulsão integrado lunar, bem como desenvolver sensores que podem ajudar as aeronaves a aterrar em qualquer lugar da superfície da Lua.

A United Launch Alliance vai ver financiados três projetos, em um total de 13,9 milhões de dólares, entre os quais um que  desenvolverá um sistema Integrate Vehicle Fluids, que permite operações de duração prolongada para os rovers lunares, aproveitando "a disponibilidade de hidrogénio líquido e oxigénio na Lua.

A Astrobotic Technology, na Pensilvânia, completa o pódio das empresas mais financiadas que terá mais 10 milhões de dólares para desenvolver sensores óticos autónomos que permitam à NASA melhorar drasticamente o desempenho das missões de pouso lunar e planetário.

De fora desta ronda de financiamento, em que cada parceiro do sector é obrigado a contribuir com um mínimo de 25% do custo total de cada projeto, ficaram alguns grandes nomes como a SpaceX e a Boeing.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.