Descoberta pelos investigadores da ESET, em colaboração com o CERT-Bund e outras agências de segurança, o conjunto de componentes sofisticados deste malware tem como principal objetivo entrar nos servidores e infetar os computadores que os visitam, roubando informação confidencial.

De destacar que mais de 60% dos sites em todo o mundo estão alojados em servidores Linux, sendo que os investigadores da ESET estão a apelar aos webmasters e administradores de sistemas para que verifiquem os servidores e computadores.

A "Operação Windigo" terá passado despercebida durante cerca de dois anos e meio, período de tempo em que foi ganhando força. Hoje controla mais de 10 mil servidores, entre os quais os famosos cPanel and kernel.org.

Em resultado deste controlo, mais de 35 milhões de mensagens de spam estão a ser enviadas todos os dias para as caixas de correio de utilizadores inocentes, entupindo as mesmas e colocando os computadores em risco.

Paralelamente, a cada dia que passa, mais de meio milhão de computadores estão em perigo pelo facto de os utilizadores visitarem páginas que se encontram alojadas em servidores infetados por este malware e que os redirecionam para sites de publicidade e kits de exploits.

A ESET refere que embora os utilizadores com sistemas operativos Windows sejam infetados através de páginas com kits de exploits, os utilizadores Mac, curiosamente, são apenas bombardeados com publicidade, ou redirecionados para sites pornográficos, no caso de estarem a navegar num iPhone.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.