Profissionais do turismo, do imobiliário, designers, jornalistas ou simplesmente gestores de conteúdos. Há uma grande variedade de razões para que uma grande variedade de pessoas quisessem usar o Google Earth Pro. Mas o pagamento anual de 300 euros por ano afastava muitos utilizadores desta ferramenta.

Agora o preço deixou de ser uma desculpa. Desde o dia 20 de janeiro que a Google deixou de cobrar a anuidade da ferramenta de mapas e geolocalização, mas só agora é que a informação está a ser partilhado de forma mais aberta pela imprensa especializada.

Mesmo fora do âmbito profissional, esta é uma boa oportunidade para todos os que sempre quiseram experimentar o lado mais "profissional" do Google Earth, mas nunca quiseram ou puderam fazer o investimento.

Em comunicado a própria tecnológica norte-americana não se alonga muito sobre os motivos desta alteração, focando-se justamente na ideia de que o Google Earth Pro pode servir tanto para planear a construção de uma casa como para saber qual a melhor posição para colocar um painel solar.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.