No terceiro dia de MEO XL Games, na manhã de sábado onde se esperou uma maior aderência do evento, Pedro Silveira fez um balanço do road show realizado em Portugal durante 2023, começando em Guimarães, seguindo-se Portimão e acabando em Matosinhos, que foi o maior de toda a série. Em entrevista ao SAPO TEK, o líder da E2 Tech considera que a primeira edição do MEO XL Games é uma aposta ganha, mas reconhece que a "competição" pelo público no mesmo fim-de-semana do ano com o Lisboa Games Week, evento que ajudou a construir no passado, não beneficia ninguém.

O balanço do evento é positivo para Pedro Silveira, “estamos a conseguir atingir os nossos objetivos. E um dos objetivos era voltar a criar um grande evento de videojogos e eSports em Portugal. Como todos sabem, éramos a empresa que organizava o Lisboa Games Week em parceria a AIP FIL. Ao sair dessa parceria montámos os eventos XL Esports e Moche XL Esports e MEO XL Games”. Mas a pandemia colocou em pausa dos eventos e a E2 Tech não realizou nenhum em 2022.

Veja na galeria imagens do MEO XL Games:

Para 2023 foi feita a decisão de se criar uma nova marca e arrancar com esses eventos de uma forma diferente. “Estávamos habituados a fazer um Lisboa Games Week por ano, mas para este MEO XL Games optámos por um road show, um evento de videojogos em diferentes localidades de Portugal e que é uma marca que está a aparecer e a mostrar ao público que é neste evento que estão as grandes marcas, ativações e parceiros, e que podem retomar com a E2 Tech a sua presença”.

Pedro Silveira destaca a presença em exclusivo da PlayStation Portugal no evento, mas também a Nintendo que apostou forte nos eventos de gaming. A Federação Portuguesa de Futebol eFootball, com o torneio Christmas Challenge, um parceiro que acompanha a empresa há vários anos. Foram ainda referidos outros parceiros tanto do gaming, como de outras áreas que “trazem todo um colorido à festa”. O evento conta com parceiros como a Worten, que segundo o líder da E2 Tech, faz também um regresso, “numa área fantástica”.

MEO XL Games: Veja as fotos dos principais momentos do evento de gaming e eSports
MEO XL Games: Veja as fotos dos principais momentos do evento de gaming e eSports
Ver artigo

Questionado sobre o facto de estarem a decorrer dois eventos de videojogos, Lisboa Games Week e MEO XL Games, no mesmo fim-de-semana, um na capital e outro no norte e o que isso representava para a indústria, Pedro Silveira considera que não é saudável. “Não é bom porque algumas das marcas têm de se dividir para estar nos dois lados. O público também, de alguma forma”. Pedro Silveira aponta ainda a desinformação e contrainformação que tem surgido sobre os eventos, “o que acaba por não ser benéfico para todos”.

A explicação para a semelhança das datas prende-se com o facto de ser uma época mais forte na indústria de videojogos no que diz respeito ao investimento na promoção dos seus produtos. Mas também as datas disponíveis para os recintos afetam essas decisões e isso acabou por fazer com que os dois eventos colidissem.

Por um lado, também dá para perceber qual o melhor evento, o que tem mais atividades, mais capacidade e parceiros. Qual o evento que tem os melhores conteúdos para o público”. Pedro Silveira não tem dúvida de que faz os eventos para o público e que a empresa vai continuar a seguir o seu caminho.

"Vai ser o público a decidir qual é o melhor evento. Nós construímos uma marca durante algum tempo, o Lisboa Games Week, em parceria com a AIP FIL. E hoje estamos a construir uma marca nova”.

Para Pedro Silveira, o Lisboa Games Week 2018, ainda organizado pela E2 Tech, foi o melhor evento de videojogos em Portugal. “E agora com o MEO XL Games estamos a construir as fundações para que volte a esse patamar”, reunindo todas as marcas, parceiros e conteúdos e onde o público queira estar presente. “O que apresentamos aqui neste fim de semana é claramente um grande evento para o público, que tenho a certeza que vai sair daqui satisfeito”.

Para si, a parte mais importante é saber que as pessoas que pagaram o bilhete para visitar o evento saiam satisfeitos. “A parte mais importante para nós é não termos reclamações de que pagou o valor do bilhete e os conteúdos não estiveram à altura. Pelo contrário, pagar o dinheiro e o público ficar satisfeito e participar nas atividades”.

O organizador prefere deixar para as pessoas que visitaram um e outro evento, assim como as marcas que estiveram nos dois para tirar as ilações. “Mas não se vai sair tudo, porque como disse, tem havido muita contrainformação, muitas redes sociais têm sido usadas para o público expressar a sua opinião, mas se as mesmas tiverem lápis azul, acaba por não passar a realidade para fora”, salientando a polémica de que a organização do Lisboa Games Week tem vindo a apagar as queixas do público que visitou o evento desta presente edição. “Temos redes sociais onde não apagamos comentários, as pessoas dizem o que acham sobre o que podemos melhorar. Mas o feedback geral é que estão a gostar e querem estar presentes em outras edições”.

Sobre a localização do evento, na Exponor, Pedro Silveira refere que em Lisboa, no caso do Oriente, existem mais pessoas a viver, mas também os acessos são mais acessíveis e os transportes convergem. Apesar de em Matosinhos não ser no centro do Porto, sente que o público do norte está a aderir ao evento. A marca diz que está a tentar comunicar para trazer mais público, salientando outros eventos como o Iberanime e Comic Con que já fizeram cá eventos e foram crescendo a nível de público.

Questionado sobre os números do evento, Pedro Silveira ainda não tinha um balanço final. Destaca que houve um esforço para ter o máximo de público na quinta e sexta-feira, com o Serviço Educativo. “Foi uma aposta ganha, sabemos que temos um Serviço Educativo ímpar, muito bom e com várias ações formativas, conferências, debates e workshop em que as escolas aderiram. Não diria que quinta e sexta tivessem sido fantásticos, mas foram razoáveis e interessantes”. Apesar de não ter números, acredita que com a enchente do sábado e domingo, analisando a parte de manhã do início do fim de semana. “Esperamos que no total dos quatro dias tenhamos 30 a 40 mil visitantes no máximo, numa primeira previsão”.

A E2 Tech tentou meter toda a “carne no assador” para este evento, ainda que sentisse que poderia ter recebido mais apoio, acreditando que em 2024 possa fazer mais e melhor. Foi também confirmada a primeira data para 2024: os dias 1,2 e 3 de março em Portimão, que será o arranque de uma nova road trip, estando a fechar os dois locais seguintes. Espera em junho ou setembro/outubro um segundo, seguindo o grande evento em novembro/dezembro.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.