O Japão pretende sensibilizar o mundo sobre a sustentabilidade do planeta e revelou que as medalhas dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, serão fabricadas a partir de ouro e prata extraídos de lixo eletrónico, incluindo smartphones, portáteis e outros equipamentos e gadgets.

O comité recolheu cerca de 48 mil toneladas de desperdício eletrónico, tendo traçado alguns objetivos para conseguir as medalhas suficientes para o evento. No que diz respeito ao bronze, o objetivo já foi alcançado, tendo sido recuperados os 2.700 quilos necessários. No que diz respeito ao ouro foram recolhidos 93,7% do objetivo de 30,3 quilos. Por fim, para produzir as medalhas de prata são necessários 4.100 quilos, e já foram obtidos 85,4% do objetivo. O material está avaliado em cerca de três milhões de dólares, obtido de cerca de cinco milhões de dispositivos. Os objetivos estão previstos serem concluídos até o final de março.

Segundo o website do projeto, os dispositivos foram doados por diversas pessoas no Japão, que foram classificados e desmontados por agentes governamentais acreditados no ato da promoção à reciclagem de equipamentos eletrónicos. As medalhas serão depois fabricadas, após o objetivo definido ter sido alcançado, e já falta muito pouco. Estiveram envolvidos um total de 1.594 autoridades municipais, o equivalente a 90% dos municípios do Japão, ligados ao projeto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.