O rover Curiosity aterrou no solo de Marte em agosto de 2012, tendo já “palmilhado” muitos quilómetros nas suas explorações. Mas nem sempre as coisas correm de feição ao bravo explorador, e em 2016 a sonda decidiu tirar uma “sesta”, deixando os engenheiros da NASA desprevenidos, na altura, em vias de se confirmar a existência de água no planeta vermelho.

A Agência Espacial norte-americana revelou agora que durante esta semana foi necessário trocar as operações do rover para o segundo computador, depois deste ter apresentado falhas no registo de dados científicos desde o dia 15 de setembro. O objetivo é correr um diagnóstico completo ao computador principal e descobrir quais as causas técnicas que originaram as falhas.

A NASA explica que a maioria das suas naves e rovers de exploração estão equipados com dois computadores redundantes, designados como lado A e lado B, mantendo-se em operações caso um deles falhe. Neste caso, o Curiosity estava a ser comandado pelo lado B, sendo agora alterado para o lado A, o mesmo que operou inicialmente após aterragem no planeta.

Segundo a agência, o rover continua saudável e a receber comandos, enviando informações de forma limitada guardadas no seu módulo de memória curta. O problema parece estar a afetar as informações gravadas no sistema de longa duração, uma espécie de diário que os engenheiros necessitam para fazerem diagnósticos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.