Chama-se Parker Solar Probe e  vai passar a cerca de sete milhões de quilómetros do Sol para perceber como funciona aquela estrela e o que o pode ser feito para medir com maior precisão eventos solares que afetam a Terra.

Agora, a agência espacial norte-americana está a convidar o público em geral a incluir o seu nome numa lista que será incorporada num chip. Os interessados têm até dia 27 de abril para preencherem o formulário na página que a NASA disponibiliza para as inscrições.

Aprovada em 2014, a sonda Parker foi especialmente concebida para suportar temperaturas e níveis de radiação nunca antes experimentados, já que terá de sobreviver a temperaturas da ordem dos 2,500 Fahrenheit (1,371 Celsius), a impactos de partículas supersónicas e à poderosa radiação solar.

Do tamanho de um pequeno carro, a sonda está equipada com cinco instrumentos para medir e recolher amostras e espera-se que os dados enviados para a Terra (a cerca de 1,4 mil milhões de quilómetros) ajudem os cientistas a perceber porque é que a atmosfera solar - a coroa - é mais quente do que a superfície.

Inicialmente chamada Solar Probe Plus, a sonda ganhou o seu novo nome em homenagem ao astrofísico Eugene Parker. Este cientista defendia que a matéria a alta velocidade e o magnetismo do Sol estavam constantemente a libertar-se e que isso afetava os planetas do nosso sistema solar, um fenómeno que ficou conhecido como “ventos solares”.

A sonda deverá orbitar o sol 24 vezes e a missão terá o seu fim em 2025.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.