A Comissão Europeia deu início a duas alianças industriais: a Aliança para tecnologias de processadores e semicondutores, e a Aliança Europeia para Data, Edge e Cloud Industrial. O objetivo é tornar a União Europeia mais competitiva no sector tecnológico, permitindo avançar até à próxima geração de microchips e tecnologias computacionais de cloud/edge a nível industrial. Além disso, vão permitir reforçar as infraestruturas críticas digitais, os produtos e serviços. As duas Alianças reúnem interessados empresariais, representantes dos Estados-membros, academia, utilizadores, assim como organizações tecnológicas e de investigação.

Para Margrethe Vestager, vice-presidente executiva para Europa preparada para a Era Digital, as tecnologias cloud e edge apresentam um enorme potencial económico para os cidadãos, negócios e administrações públicas, no que diz respeito ao aumento de competitividade e à oferta das necessidades específicas da indústria. “Os microchips são o coração de todos os equipamentos que utilizamos diariamente, desde os smartphones aos passaportes. Estes pequenos componentes trazem oportunidades enriquecedoras para os avanços tecnológicos”, salientando que suportar a inovação destes sectores críticos será crucial e poderá ajudar a Europa dar um salto em frente junto com outros parceiros com o mesmo pensamento.

Palavras em sintonia com Thierry Breton, comissário europeu para o mercado interno, que afirma que a Europa tem tudo o que é preciso para liderar a corrida tecnológica. Salienta que a aliança dos semicondutores vai rebalancear o fornecimento global, garantindo que tem capacidade de desenhar e produzir os mais avançados chips de 2 nm ou menores.

Deixar de depender de terceiros e aumentar quota global de fornecimento de semicondutores

Relativamente à Aliança para tecnologias de processadores e semicondutores, o desenvolvimento desta tecnologia será uma componente essencial para o progresso industrial da Europa nesta área. Vai permitir identificar e corrigir os atuais “bottlenecks”, as suas necessidades e dependências entre toda a industria. Pretende ainda ajudar a indústria a sair da crise dos semicondutores, desde que garanta a capacidade de desenhar e produzir os chips mais avançados, ao mesmo tempo que reduz a sua dependência. Espera aumentar a quota da produção dos semicondutores a nível global para 20% até 2030.

E qual é o plano? A Aliança vai estabelecer a capacidade de design e construção necessária para produzir os processadores de próxima geração e componentes eletrónicos. Na prática, vai conduzir a capacidade de produção de chips de 16 nm para 10 nm para as necessidades europeias, assim como abaixo de 5 nm e 2 nm, de forma a antecipar as necessidades futuras da indústria. Reforça ainda que os mais avançados tipos de semicondutores têm melhor performance e o potencial de poupar energia em todos os sectores.

No que diz respeito à Aliança Europeia para Data, Edge e Cloud Industrial, é referido que atualmente o volume de dados gerados é de 20%, mas em 2025 será aumentado em 80%. A União Europeia vê uma grande oportunidade para reforçar a sua própria capacidade de cloud e edge. Para tal será necessário o desenvolvimento de novas tecnologias de processamento de dados, mas sobretudo, largar os modelos de infraestruturas centralizadas.

Os novos modelos terão de utilizar recursos seguros e serem mais eficientes ao nível energético. A Aliança vai servir as necessidades dos cidadãos da União Europeia, os negócios e o sector público, ao processar dados altamente sensíveis, ao mesmo tempo que espicaça a competitividade da indústria nas tecnologias cloud e edge.

As Alianças estão abertas a todos os participantes, do sector público ou privado, através do respetivo representante legal da União Europeia, mas devem consultar as condições associadas.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.