No início da semana,  um banco de dados do governo chinês mostrou que o Facebook tinha conseguido aprovação para abrir uma subsidiária na província oriental de Zhejiang.

Facebook cria subsidiária na China. O fim da censura poderá estar à vista?
Facebook cria subsidiária na China. O fim da censura poderá estar à vista?
Ver artigo

Contudo, o centro de inovação que a rede social tinha planeado criar parece que vai manter-se apenas no papel, uma vez que o regulador chinês voltou atrás na decisão. O registo do consentimento inicial desapareceu e as  referências à subsidiária foram parcialmente censuradas nos media chineses.

A aparente reviravolta poderá ter origem no facto do Facebook ter garantido a aprovação das autoridades provinciais, mas não do regulador de internet do país, a Administração do Ciberespaço da China, noticia o The New York Times.

Recorde-se que o Facebook está banido da China desde 2009 e, logo de seguida, foi o WhatsApp que foi parcialmente bloqueado no país asiático. Desde essa altura que o diretor executivo da maior rede social do mundo tem tentado regressar ao mercado chinês.

Gigantes tecnológicas devem aceitar regulação se querem entrar no mercado chinês
Gigantes tecnológicas devem aceitar regulação se querem entrar no mercado chinês
Ver artigo

No entanto, a China tem uma postura bastante autoritária sobre a internet, gerindo-a como um serviço público onde o Estado intervém frequentemente para regular e afinar a sua utilização de acordo com os interesses do governo.

Pelo que, gigantes tecnológicas que queiram ultrapassar a Great Firewall da China e ter acesso aos 751 milhões de utilizadores da internet daquele país, terão que cumprir as leis e os regulamentos chineses.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.