O Facebook criou uma subsidiária na China com um capital de 30 milhões de dólares, naquela que pode ser uma tentativa para ultrapassar o bloqueio que aquele país impõe a várias redes sociais e motores de busca, como o WhatsApp, Twitter e o Google.

As operações da subsidiária incluirão o desenvolvimento de tecnologia de informação de rede e serviços relacionados, consultoria de investimento e planeamento de marketing, noticia a Reuters.

Gigantes tecnológicas devem aceitar regulação se querem entrar no mercado chinês
Gigantes tecnológicas devem aceitar regulação se querem entrar no mercado chinês
Ver artigo

A sucessiva intervenção do governo chinês na internet não é segredo e, em 2017, o governo implementou novas medidas para apertar ainda mais o controlo estatal sobre o domínio digital local.

Contudo, as grandes tecnológicas norte-americanas cujos conteúdos esbarram na “Great Firewall” chinesa têm procurado cada vez mais novas formas de entrar no mercado.

A Google tem várias centenas de funcionários na China e lançou recentemente o seu próprio laboratório de Inteligência Artificial (IA) e a Apple também alterou as suas lojas de aplicações para atender às restrições da censura chinesa no ano passado, removendo centenas de apps a pedido dos reguladores.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.