Uma investigação realizada pela Which?, uma associação britânica de defesa dos direitos dos consumidores, revela que o Facebook não está a tomar medidas suficientes para travar a propagação de grupos que incentivam à escrita de reviews falsas em plataformas como a Amazon a troco de produtos grátis ou recompensas em dinheiro.

Em junho, a Competition and Markets Authority (CMA), a autoridade da concorrência britânica, já tinha advertido a rede social, assim como o eBay, para que tomassem ações contra a propagação do pagamento por escrita de críticas falsas. De acordo com a mais recente investigação da Which?, apesar da intervenção da plataforma de comércio eletrónico, que removeu cerca de 100 listas que vendiam reviews, o número de grupos de Facebook aumentou.

Ao infiltrar-se, ao longo de um mês, em cerca de 10 grupos de Facebook que pertenciam ao “mercado negro” de críticas falsas, a Which? descobriu não só um aumento drástico no número total de membros - de 85.647 para 105-669 -, mas também um elevado número de publicações diárias que prometiam produtos grátis ou recompensas em dinheiro - cerca de 3.500 por dia. A associação revela também que o algoritmo do Facebook recomendou grupos semelhantes aos analisados, neste caso, relacionados com vendas na Amazon, na página de sugestões de conteúdo.

Num comunicado de imprensa, em resposta às descobertas realizadas pela Which?, um porta-voz do Facebook declarou que a rede social está a tomar medidas para travar a propagação destes grupos. Uma das opções foi remover nove dos grupos investigados, mas também aumentar o número de pessoas da equipa de segurança, que vai passar a ter 30.000 membros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.