A partir do próximo dia 1 de abril, todos os cidadãos da União Europeia terão a possibilidade de aceder aos conteúdos digitais subscritos no seu país, em qualquer região da UE. Na prática, isto significa que o catálogo nativo de Netflix a que tem acesso na sua conta, passará a estar disponível em todos os restantes Estados-membro, sem quaisquer restrições de conteúdo. E o mesmo se aplica a todos os restantes serviços digitais multimédia.

O Reino Unido terá direito a beneficiar desta nova norma, como parte integrante da União Europeia, mas assim que o processo de saída estiver concluído, a portabilidade de conteúdos digitais deixará de ser possível, tanto para quem viaja dos países que o compõem, como para quem viaja com destino a eles.

IBM quer mais 4 centros de dados no Reino Unido. Não considera Brexit uma ameaça
IBM quer mais 4 centros de dados no Reino Unido. Não considera Brexit uma ameaça
Ver artigo

O que também será afetado é o sector da televisão, uma vez que os canais britânicos vão ser obrigados a esclarecer, junto de todos os restantes Estados-membro da UE, as questões relacionadas com a transmissão de sinal, de forma a poderem continuar a cobrir estes países com os seus conteúdos.

Este novo sistema de direitos de autor vai ter efeito a partir do dia 29 de março de 2019. Para saber mais sobre o que o Reino Unido está em risco de perder com o Brexit neste domínio, siga este link.

Recorde-se que Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte vão ainda ficar de fora do próximo programa europeu de GPS por satélite (Galileo).

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.