A saída do Reino Unido da União Europa poderá ter consequências na forma como os dados privados dos utilizadores britânicos dos serviços da Google são recolhidos e tratados. A gigante tecnológica planeia deixar de seguir as normas do Regulamento Geral de Proteção de Dados no território, passando a seguir a jurisdição norte-americana. A mudança poderá colocar as informações dos utilizadores em causa, além de facilitar o acesso das autoridades britânicas a dados sensíveis.

De acordo com fontes internas a que a Reuters teve acesso, a Google está a considerar tomar a decisão uma vez que, de momento, não existem certezas acerca do rumo que o Reino Unido tomará em relação ao RGPD. Caso a mudança venha, de facto, a acontecer, os utilizadores britânicos serão obrigados a seguir os novos termos de serviço da Google, assim como as regras de proteção norte-americanas.

Nos Estados Unidos, a recolha e tratamento dos dados dos utilizadores rege-se pela CLOUD Act. Além de permitir um maior acesso das autoridades britânicas às informações recolhidas pelas empresas norte-americanas, o regulamento é considerado por muitos como um dos mais fracos a nível de proteção das informação dos utilizadores.

Recorde-se que a Google é dona de uma das maiores coleções de dados de utilizadores de todo o mundo, os quais são usados na personalização de serviços e na venda de anúncios. Ao que tudo indica, a gigante de Mountain View não será a única a ter de decidir que regulamento terá de aplicar no caso do Reino Unido. As fontes contactadas pela Reuters revelam que outras empresas tecnológicas norte-americanas já estão a planear qual será o melhor rumo a tomar.

Este mês estamos a celebrar os 20 anos do SAPO TeK. Saiba mais em https://tek.sapo.pt/tag/SAPOTEK20anos

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.