Ainda é um projeto piloto e o objetivo para já é monitorizar o desempenho da solução e a reação e opinião dos clientes, escreve hoje o jornal Público citando uma fonte oficial da CP. Para já é apenas uma automotora da linha de Cascais e outra da linha de Sintra que estão a disponibilizar acesso a uma rede Wi-Fi, e nas duas composições foi colocado um aviso aos passageiros,  informando-os desta experiência e convidando-os a partilhar as suas impressões com a CP.

A empresa está já avaliar as primeiras reações, que confirma serem positivas, e nota que estes tipo de serviço pode ajudar a potenciar a utilização do comboio como meio de transporte.

A ideia é que, depois da conclusão dos testes, a solução possa ser alargada às frotas de material das linhas urbana de Sintra, Azambuja e Cascais, bem como aos comboios suburbanos do Porto, um processo que deverá ter desenvolvimentos a partir de 2020.

Não há ainda detalhes das especificações das soluções técnicas a adoptar, que estão dependentes dos resultados desta fase piloto, nomeadamente, da cobertura das redes móveis pelos diferentes operadores nestas linhas.

Outras empresas de transportes públicos têm também optado por disponibilizar acesso à internet aos seus clientes. A Fertagus não tem Wi-Fi nos comboios, mas sim nas estações que estão concessionadas, enquanto os autocarros da Rede de Expressos possuem Internet a bordo. A Carris, a Rodoviário do Tejo e a Rodoviária do Oeste têm a mesma opção, assim como a frota da Arriva e o Metro ao Sul do Tejo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.