“Tivemos alguns contactos, num volume não muito elevado, o que não é surpreendente nos esquemas em pirâmide”, disse à Lusa o analista financeiro da Deco PROTESTE, André Gouveia. Segundo o responsável, muitas pessoas acabam por não denunciar a situação “por vergonha ou porque têm esperança de recuperar o seu dinheiro”.

O português Rui Pires Salvador está a ser investigado pela justiça espanhola por alegadamente ter burlado centenas de milhares de pessoas num esquema em pirâmide que ascende as mais de mil milhões de euros.

Os visados investiram na empresa do português, a LibertaGia, que prometia o acesso a um serviço remunerado a 350% ao ano que envolveria apenas a passagem por determinadas páginas e a visualização de anúncios na Internet.

As pessoas receberiam por cada acesso que faziam em valores contabilizados e geridos online, sendo-lhes dito que o dinheiro viria dos anunciantes. A dada altura as verbas deixaram de ser pagas e a LibertaGia passou a aliciar os seus “investidores” com a possibilidade de serem compensados com a possibilidade de trazerem novos associados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.