Os últimos dias têm sido bastante ativos para as principais gigantes tecnológicas. Tanto o Facebook como a Microsoft revelaram novidades para o seu portfólio com conferências dedicadas. Chega a vez da Google dar início à sua conferência anual I/O, esperando-se algumas revelações interessantes pelo CEO da empresa, Sundar Pichai.

Diretamente de Mountain View, o evento anual arranca hoje, dia 7 e prolonga-se ao longo de três dias. No ano em que comemora os 21 anos, oficialmente “adulta” nos Estados Unidos, a tecnológica pretende demonstrar a sua visão para o futuro, comunicando diretamente com os produtores que fazem parte da plateia, tentando convencê-los a produzirem novas e poderosas soluções para o seu ecossistema.

Sundar Pichai abriu o evento revelando a missão da Google em organizar toda a informação para ajudar os utilizadores e a tornar o mundo melhor. “Queremos que os produtos trabalhem melhor, e com práticas de privacidade, seja em casa, no trabalho ou na rua”, destacando novas funcionalidades do Gmail, como por exemplo, remoção da mensagem (Undo) se sentirem que esta não está como deseja.

O CEO da empresa referiu os novos botões nas pesquisas, de forma a envolver mais os utilizadores a obter mais informações. Os Podcasts também são uma aposta da gigante tecnológica, que vão passar a estar incluídos na pesquisa.

Mas as novidades da pesquisa não se ficam por aqui, e uma das novidades é a introdução de realidade aumentada, sendo possível encontrar modelos tridimensionais, que podem ser interativos, diretamente do browser de pesquisa, como por exemplo, ver ténis. Será a morte das imagens estáticas e em 2D? Um dos exemplos foi a pesquisa de um tubarão, sendo encontrado um modelo 3D, preparado para realidade aumentada, que pode ser arrastado diretamente para a câmara e utilizá-lo no smartphone.

HEY GOOGLE

O Google Lens continua a ser melhorado, e mais importante que a pesquisa é a indexação e a gigante continua a afinar a ferramenta. Por exemplo, apontar a câmara para um menu de um restaurante, o Google destaca de imediato os pratos mais populares e mais fotografados pelos utilizadores, dando feedback aos utilizadores. Acabaram-se as dúvidas na hora de escolher o jantar. E quando chega a hora de pagar a conta e dividir as despesas, o Lens apontado à fatura e ativa a máquina calculadora para fazer as contas automaticamente.

O Lens pode ler mensagens e ativar o assistente de voz para pronunciar alto, ou fazer de imediato a tradução para outras línguas. Trata-se de um exemplo da combinação de tecnologias da Google, entre o reconhecimento, o translate e o read-to-speech. A tecnologia poderá ser muito útil em países subdesenvolvidos para ajudar a ler instruções de produtos e traduzir prontamente para o seu idioma. O sistema já funciona em mais de 14 línguas, incluindo o português. As novidades do Lens chegam à aplicação no final de maio.

Tal como no ano passado, o Google Duplex foi mostrado e está ainda mais inteligente. Para além da marcação dos restaurantes, já é possível alugar um carro, por exemplo, preenchendo automaticamente aqueles formulários chatos pelo próprio utilizador. Baseado nos emails do Gmail, o sistema consegue mesmo compreender as necessidades dos seus utilizadores, assim como as preferências de automóveis. Além disso, no final do ano será expandido para uma aplicação Web.

O CEO da Google revelou ainda que o sistema automático foi compresso de tal forma, que ocupa poucos Megabytes, tornando a inteligência artificial dos smartphones cada vez menos dependente de uma ligação à internet, e claro, mais rápidos no processamento da informação. Numa demonstração ao vivo, foi feita uma navegação pelas aplicações pelo smartphone, desde tirar fotografias a navegação, sem estar ligada online. Importante foi a eliminação da necessidade de dizer "Hey Google" no início de cada comando. Desta forma, através da navegação por voz, é possível fazer multitasking, saltando entre as aplicações falando apenas com a voz, como responder a emails e mensagens, consultar um voo, entre outras ações.

Outro exemplo da navegação por voz é a aplicação Picks For You, prevista para o verão. Esta lista sugestões aos utilizadores baseado nos seus gostos. Ou perguntar pelo tráfego para a casa de um familiar, listando rapidamente rotas para fugir às filas de trânsito. Pode-se conseguir obter informações mais complexas, ao partilhar a morada do destino, pode-se perguntar como está o estado do tempo no local. Claro que a Google ressalva que todas as informações podem ser controladas e apagadas pelos utilizadores, em conformidade com as regras de privacidade.

O smartphone transforma-se num GPS, quando colocado no tablier do automóvel, bastado o comando “Hey Google, Let’s Drive”. O sistema assume diversas funcionalidades de navegação, pode receber instruções para tocar músicas e no caso de receber uma mensagem, o sistema alerta-o em alta-voz dando a opção de atender ou rejeitar. A funcionalidade Driving Mode chega no verão.

Por fim, um alarme do smartphone a tocar, basta dizer "stop" para este parar de tocar...

Inteligência artificial e privacidade

A inteligência artificial foi o tema seguinte visado por Sundar Pichai, referindo que deseja que chegue a todos, mesmo aqueles que não têm possibilidade de comprar equipamentos de topo. Destaca ainda que os seus investigadores estão a trabalhar em novos sistemas de IA para fazer previsões na sua aprendizagem mais apurados. Dando o exemplo das listas das zebras e o reconhecimento dos seus pigmentos. A análise da pele das pessoas é um aspeto importante, sobretudo para evitar descriminações, mas também para ajudar na medicina a identificar doenças como o cancro.

Anunciado na semana passada, a capacidade de os utilizadores apagarem automaticamente os seus dados foi também destacado, seja na pesquisa, maps ou outra aplicação que acumule o histórico de utilização. Foi ainda revelado o modo Incógnito para a pesquisa, YouTube e outras aplicações da Google, para que navegue de forma anónima e sem registo de historial.

A inteligência artificial está a ser utilizada para ensinar a escrita automática, tentando prever com mais eficácia aquilo que os utilizadores estão a escrever. Importante referir que este aprende novos termos baseados nas expressões das pessoas, passando a listar como opção na sua previsão. Também as transcrições em direto já estão disponíveis em 70 línguas. A IA também está a ser usada integrar legendas de transmissões ao vivo, graças ao reconhecimento de voz.

E as pessoas com dificuldades na fala, seja motivado por um ataque cardíaco ou outra doença degenerativa, a inteligência artificial consegue identificar essas palavras, debitadas com dificuldade e transcrevê-las para ajudar a comunicação a fluir.

Android 10 ou Android Q

A Google introduziu finalmente o Android 10, conhecido como Android Q, arrancando com a informação de que 2,5 mil milhões de utilizadores utilizam o sistema operativo. Uma das principais novidades é a flexibilidade do SO para equipamentos dobráveis, motivados pelos novos smartphones como o Galaxy Fold e o Huawei Mate X.

As legendagens ao vivo serão introduzidas nativamente no sistema operativo. Os utilizadores podem mexer nas legendas, o tamanho e outras opções, e o mais interessante é que o sistema trabalha diretamente no telefone, sem suporte de streaming. Os exemplos dados das legendas ao vivo foram feitas com o telemóvel em modo avião.

A Google destaca o sistema de aprendizagem da inteligência artificial no próprio dispositivo. O modo Dark foi também confirmado, sendo uma das mais esperadas funcionalidades do sistema operativo. A segurança é uma das preocupações do Android 10, tendo conseguido pontuações elevadas em praticamente todas as disciplinas de proteção.

Os utilizadores vão ainda encontrar novas opções de privacidade, para que de forma transparente, saberem o que partilham e com quem o fazem. O próprio sistema alerta os utilizadores se querem partilhar ou não as localizações, por exemplo, ou se o desejam fazer enquanto estão na aplicação, apagando essas definições no fim da sessão.

Foi ainda introduzido o Focus Mode, que desliga qualquer aplicação enquanto está concentrada no trabalho ou qualquer atividade. A funcionalidade, que vai chegar em breve a todas as versões do Android mais recentes, destina-se aos utilizadores que se distraem com facilidade. O App Time, semelhante ao sistema da Apple, foi introduzido no SO, com a adição de uma funcionalidade de tempo bónus, para deixar o seu filho estar mais uns minutos na internet antes de ir dormir.

Smart Home à maneira da Google

Mais que uma “smart home” a Google pretende introduzir a “Usefull Home”, criando tecnologia que seja fácil para as pessoas utilizarem em casa, e de forma personalizada para qualquer membro da família. O sistema deve trabalhar em conjunto, em qualquer divisão da casa, e deve claro, respeitar a privacidade dos utilizadores.

Nesse sentido foi apresentado o Nest Hub Max, um novo produto que vem substituir o Google Hub, que permite controlar todos os dispositivos inteligentes da casa. Foi desenhado para ter total controlo da sua câmara, com um led verde para saber quando está a trabalhar. E para aqueles que colocam fita-cola na câmara, o dispositivo tem na traseira um botão físico para desligar a corrente da câmara e microfone.

O sistema tem reconhecimento facial, identificando os utilizadores, listando todas as informações de que necessita, assim como recomendações de séries ou refeições personalizadas. O dispositivo funciona ainda como moldura digital, ligada ao Google Photos, listando fotografias preferidas dos utilizadores. Serve ainda de guia de televisão, sugerindo canais, ou mesmo centro multimédia. O assistente inteligente reconhece ainda gestos, para desligar a música quando toca o telefone. O Nest Hub Max chega no verão por 229 dólares e Nest Hub por 119 dólares, infelizmente Portugal não está na lista.

Google Pixel 3A e 3A XL

Começando pelo fim, a Google revelou que o novo Pixel 3A arranca nos 399 dólares e terá uma versão melhorada, o modelo 3A XL, cujos detalhes não foram revelados. A revelação do preço no arranque pretendeu destacar a qualidade da sua câmara, uma das melhores qualidades dos smartphones da fabricante, por um preço mais acessível. Durante a apresentação foi destacada a capacidade de captura em ambientes menos iluminados, graças à funcionalidade Night Sight.

O novo smartphone é, no fundo, o realizar da vontade dos utilizadores, provando que a gigante está atenta às sugestões e necessidades dos seus clientes. Só por isso, a (re)introdução do jack 3,5 mm passa a ser um “feature” aplaudido pela plateia presente.

O Pixel 3A XL tem um ecrã OLED de 6 polegadas e o 3A de 5,6 polegadas, ambos capazes de debitar a mesma resolução. O dispositivo oferece colunas estéreo e suporte a Bluetooth 5.0. No interior é possível encontrar 4 GB de RAM e uma bateria de 3.700 mAH para o modelo XL e 3.000 mAh para o normal, ambos suportados por tecnologia de carregamento rápido.

A Google prometeu suporte de três anos no que diz respeito às atualizações de segurança.

Em antevisão

O que pode levar a tecnológica para o evento? Os especialistas apontam novidades ligadas à inteligência artificial, que foi um dos pontos altos do ano passado, destacado pela famosa “conversa” com o Google Assistent. Há ainda espaço para novos produtos do seu ecossistema, como o Gmail, Google News, Maps que poderão receber atualizações baseadas no seu assistente de IA.

É possível extrapolar que a empresa aproveite a oportunidade de falar um pouco mais sobre o seu sistema de jogos em streaming, o Stadia. Mas também a realidade aumentada, o novo sistema operativo Android Q, e quem sabe um novo smartphone Pixel fazem parte do menu de rumores que podem ser mostrados.

Para saber as novidades em primeira-mão, pode acompanhar o SAPO TEK, ou mesmo a transmissão em direto, a partir das 18.00 no canal oficial da Google no YouTube.

Nota de redação: última atualização às 20:00 com mais informações do smartphone Pixel 3A.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.