Anualmente, a rede social de Mark Zuckerberg realiza uma conferência em São José, na Califórnia, como uma espécie de ponto de situação dos seus produtos, aproveitando para anunciar novidades tecnológicas. Entre novas funcionalidades do Facebook, Instagram e Messenger, novidades sobre o sistema de realidade virtual Oculus eleva o interesse da reunião de programadores, produtores e utilizadores ligados à plataforma.

Nos últimos anos a rede social tem estado envolvido em diversas polémicas relativas aos dados privados, ainda no rescaldo do caso Cambridge Analytica, o que tem originado diferentes multas à gigante tecnológica.

No arranque do evento, Mark Zuckerberg deu as boas-vindas a mais um F8, revelando que o futuro é privado, como o próximo capítulo dos seus serviços. O fundador do Facebook destaca que a privacidade é necessário, e explica como isso funciona na forma de um produto, e como o Facebook tem de mudar para acompanhar essa estratégia, mesmo brincando que a rede social não tem a melhor reputação no que diz respeito a questões de segurança.

Para tal, baseia-se em seis princípios: Interações privadas, encriptação, reduced permanence (manter privado conversações antigas), segurança, interoperatividade e segurança no armazenamento de dados.

O CEO do Facebook tem mantido conversações abertas com especialistas, espalhados pelo mundo, de forma a receber feedback das melhores práticas, destacando que as ferramentas da rede social têm que ser “utilizadas para fazer o bem”, o que mereceu uma ovação da plateia.

O Facebook está também a modificar a sua infraestrutura, criando de raiz e à mão, novas regras para suportar a nova visão de privacidade da empresa. Ainda assim, Mark Zuckerberg menciona que estas mudanças não serão transformadas “da noite para o dia”, e que nem tudo está definido.

Nesse sentido, o Facebook está a criar um projeto chamado LightSpeed, a nova atualização do Messenger, confirmando-se assim uma nova aplicação de mensagens externa ao Facebook. E vai ser lançado uma aplicação desktop para o Windows e Mac para videochat do Messenger, adicionando novas ferramentas para conversas privadas (com lançamento previsto no final do ano). Há ainda uma Tab especial, para amigos do Facebook, onde é possível selecionar um grupo mais restrito, para conversas em privado. Esta permite assistir a vídeos em grupo.

A principal novidade da nova aplicação do Messenger é a integração do WhatsApp e Instagram, permitindo partilhar mensagens entre utilizadores das três aplicações. A visão geral é transformar o Messenger numa rede social, per si, reunindo amigos espalhados pelas diferentes aplicações.

O WhattsApp também vai receber novas ferramentas baseadas em privacidade, incluindo o Status, que é uma espécie de Instastory, possível igualmente no Facebook. Há ainda a possibilidade de partilhar, de forma privada, a localização. Esta está encriptada e apenas quem for selecionado receberá a localização do utilizador. As empresas também verão os seus negócios a receber novas ferramentas, de forma a interagir de forma mais direta com os seus parceiros e clientes. A aplicação terá ainda um sistema de pagamentos, permitindo “enviar pagamentos a outra pessoa, com a mesma facilidade com que partilham uma fotografia”, salienta Mark Zuckerberg, acrescentando que o sistema está a ser testado com sucesso na Índia.

Voltando ao Facebook, o líder do Facebook apresentou uma nova versão da aplicação, mais simples, leve, e nem sequer é azul, como menciona, referindo-se como F5. A versão browser também chega no fim do ano, e terá diversas surpresas. Mark Zuckerberg garante que não se trata de uma remodelação, mas algo criado de raiz, anunciando que passa a estar disponível (a versão app) a partir de hoje nos Estados Unidos e nas próximas semanas no resto do mundo. Mantendo o foco nos grupos, será possível juntar amigos para discutir o mais recente episódio do Game of Thrones, ou para jogar os títulos mais recentes do mercado. Há também ferramentas para vender produtos, com novas interações, incluindo perguntas dos clientes.

O Facebook explorou ainda a funcionalidade Dating, permitindo aos utilizadores criarem um perfil à parte da sua principal "para o engate", incluindo ferramentas de "crush", piscando o olho a outras aplicações de encontros. A funcionalidade "Meet New Friends" ajuda a encontrar novos amigos, baseado em amizades mútuas.

Relativamente ao Instagram, foi confirmado o sistema de compras integradas nas fotografias. Há ainda a estreia dos autocolantes de doações, para ajudar as pessoas em projetos ou causas sociais. Mantendo a privacidade como mote, os utilizadores têm agora a opção de dar "like" às fotografias sem se exporem publicamente. Foi também anunciado "guerra aberta" ao bulying online, introduzindo filtros para as mensagens e outras ferramentas que estão a ser testadas.

Mark Zuckerberg confirmou ainda o lançamento do Portal, o sistema de experiências de realidade aumentada para mais regiões, assim como a integração do WhatsApp e Messenger no Portal, para criar stickers divertidas durante as chamadas em vídeo.

Passando à realidade virtual, o líder do Facebook anunciou finalmente a Oculus Quest, como o Oculus Rift S, cada um a 399 dólares, com lançamento a 21 de maio e as pré-vendas a começar hoje. “Todos na plateia vão receber um exemplar”, destacou o executivo para regozijo dos presentes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.