O interesse das empresas de conteúdos e dos gestores de direitos de propriedade intelectual é fazer diminuir o número de links para conteúdos ilegais nos resultados de pesquisa dos motores de busca. A Google é a maior empresa a nível global neste domínio e uma das que se mostrou disponível para trabalhar no assunto. Em debate têm estado alterações de código que filtrem resultados de outra forma.

Segundo o TorrentFreak, as empresas envolvidas na discussão já terão chegado a acordo relativamente à entrada em vigor das medidas que tornarão o acesso a este tipo de conteúdos mais restrito. A data será 1 de junho. O que ainda não estará fechado são os termos finais do acordo, segundo a mesma fonte. Também falta perceber o alcance do acordo noutras geografias.

As negociações terão tido início na sequência de um debate sobre o tema promovido pelo gabinete de propriedade intelectual do Reino Unido, que avaliava a necessidade de introduzir legislação no país com este objetivo. Com a intervenção do Governo britânico, várias empresas juntaram-se à discussão e propõem-se chegar a um acordo voluntário entre si, que alegadamente estará muito perto de ser conseguido. Além da Google, estarão à mesa das negociações as empresas responsáveis por outros serviços de pesquisa e da área do entretenimento.

Recorde-se que em janeiro as autoridades britânicas já tinham anunciado que os principais operadores iam começar a enviar cartas aos clientes, sempre que detetassem que a sua ligação à internet fosse usada para fazer pirataria. Além de servir para mostrar aos utilizadores que as suas atividades ilícitas estão a ser vistas por alguém, estas cartas também terão um caráter pedagógico informando sobre os locais onde é possível ter acesso a conteúdos legais do mesmo género.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.