A informação foi revelada por um porta-voz da empresa, citado pela Reuters esta quinta-feira.

A investigação europeia à gigante da Internet é antiga e até já mereceu algumas propostas da empresa para alterar aspetos criticados pelas autoridades europeias, mas nunca chegou a ser possível conciliar a abertura da empresa para fazer alterações com os desejos do regulador.

A Google é acusada de abusar da sua posição privilegiada nas buscas online em 12 países, dando prioridade aos seus serviços de comparação de preços nas páginas de resultados de pesquisa geral.

Uma eventual multa à empresa norte-americana será calculada em função das receitas obtidas pela empresa através do Adwords na Europa e do serviço que permite comparar preços em lojas online (Google Shooping), onde a CE suspeita de manipulação nos resultados da pesquisa.

Esta é a segunda vez em que o prazo de resposta é adiado. O prazo anterior (17 de agosto) tinha sido concedido em junho, após um pedido apresentado pela Google a Bruxelas

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.