Os sites afegãos têm vindo a sofrer uma série de ataques por parte de
hackers. No entanto, estes erraram o alvo e as mensagens de
ódio inundaram os sites anti-Taliban. O site do governo do Estado Islâmico do
Afganistão, desactivado desde a semana passada, foi um dos visados,
tendo sido forçado a fechar temporariamente, depois de ter recebido inúmeras
mensagens de ódio no seu email.



Apesar dos vários pedidos de desculpas apresentados pelos piratas
informáticos, onde se incluem americanos, os peritos afirmam que este tipo
de erro vai continuar já que muitas vezes os hackers nem sequer
conseguem perceber, ou ler, o conteúdo do site atacando
indiscriminadamente.



Segundo afirmações do analista Ryan Russell, da Security Focus, à NewsFactor Network estes
ataques são semelhantes à destruíção do sites pró-Estados Unidos e pró-China
que ocorreram em Maio passado. Ou seja, apesar dos grupos pró-China terem
atacado mais de 1.000 sites com sucesso, muitos não eram nos Estados Unidos,
e a retaliação foi baseada na extenção do nome domínio, ".cn", e não no seu
conteúdo ou filosofia, como seria de esperar.



Apesar dos inconvenientes causados por este tipo de ataque trata-se, na
maior parte das vezes, de conflitos entre grupos de hackers rivais
que não têm as mesmas repercussões que os ataques terroristas, as sanções
económicas, ou uma acção militar.



Notícias Relacionadas:

2001-10-18 - FBI
espera crescimento de protestos e ataques na Internet


2001-07-05 - Hackers são um dos motores da indústria de segurança

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.