A febre das selfies, que foi até uma das palavras do ano em Portugal, chegou em força em 2014 e foi desculpa para a publicação de milhões de fotografias nas redes sociais. Tal fenómeno foi alvo de um estudo na Universidade de Ohio e as conclusões poderão deixar muitos surpreendidos: os homens que tiram mais fotografias a si próprios poderão apresentar traços de narcisismo ou psicopatia.



Cerca de 800 homens com idades compreendidas entre os 18 e os 40 anos responderam a um questionário online, desenvolvido na Universidade de Ohio, relacionado com a publicação de fotografias em redes sociais como o Facebook ou o Instagram. A avaliação dos resultados indicou que quem publica selfies com uma maior frequência obteve valores acima da média, para os padrões normais de comportamento definidos pelos investigadores, aproximando-se das características associadas a um perfil narcisista e psicopata.



Contudo, há diferenças ao nível dos dois registos: os cuidados exagerados com a edição de fotografia - cortar, aplicar filtros, etc. - antes de publicar indica uma postura narcisista, revelando que estes utilizadores "estão todos mais preocupados com a aparência e com a auto-objetivação", o que para Jesse Fox, autora do estudo, "não é surpreendente, mas é a primeira vez que é confirmado num estudo".



Apublicação de fotografias sem qualquer retoque sugere um perfil mais associado à psicopatia um distúrbio "caracterizado pela impulsividade. Eles tiram as fotos e colocam-nas online imediatamente pois querem ver-se", acrescenta a autora.
Fox avançou também que este estudo foi levado a cabo apenas com respostas do sexo masculino, mas que irá ser realizado um estudo semelhante para avaliar o mesmo comportamento nas mulheres.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.