O sonho de Adriana da Silva era ser bailarina, mas a vida trocou-lhe as voltas quando criou o seu canal de YouTube aos 18 anos, plataforma onde conta com mais de 170.000 seguidores. Agora, passados seis anos, recorda em entrevista ao SAPO TeK de que forma chegou até aqui, explicando como decidiu arriscar, seguir o seu sonho e tornar o seu “hobbie” em trabalho.

Se espreitar o primeiro vídeo da youtuber, é fácil perceber as diferenças e como a plataforma da Google tem acompanhado o crescimento da jovem portuguesa. Quando criou em 2013 o seu canal, Adriana da Silva garante que ainda era um hobbie e não uma profissão, numa altura em que também ainda não trabalhava com marcas. “Todas as minhas publicações eram muito genuínas e orgânicas”, explica.

Do regresso às aulas à maquilhagem, os conteúdos da youtuber mostravam os interesses que tinha na altura e parte do seu dia a dia. Quando entrou para a faculdade, na área de comunicação e marketing, já tinha criado o seu canal, que nunca “abandonou”, e no terceiro ano do curso começaram a surgir os primeiros contactos de trabalho no digital.

Quanto tempo levou a tornar a produção de conteúdos numa profissão? “Em 2018 foi o ano que percebi que poderia fazer disto uma profissão se me dedicasse a 200%”, explica. A partir daí optou por apostar nesta área, apesar de ter recebido algumas propostas de trabalho na vertente em que estudou.

“Preferi arriscar e seguir o meu sonho: tornar o meu hobbie no meu trabalho”, conta Adriana da Silva

Quando recorda a fase inicial no YouTube, a jovem portuguesa garante ver bastantes diferenças. No entanto, uma que destaca de forma clara é a qualidade dos vídeos, garantindo que tudo o que tem aprendido se resume à prática. “Tenho muito orgulho em dizer que nunca tirei nenhuma formação em multimédia”, conta, explicando que todo o seu conhecimento é fruto de muitas horas de investigação e de tentativa e erro.

A evolução da Adriana da Silva nos últimos anos no canal
Imagens do canal de YouTube de Adriana da Silva

O canal permitiu-lhe ainda olhar para a comunicação de outra forma. “Sempre fui muito tímida, sobretudo pessoalmente, e sinto que o YouTube me ajudou nisso”, confessa.

Na hora de publicar conteúdos, Adriana Silva destaca a importância de serem úteis para a sua audiência. Da moda a decoração são várias os temas, apesar de admitir também que continua a partilhar sobre lifestyle.

Quero que as pessoas encontrem naquilo que eu publico conteúdo útil.

A importância de se “desligar”

Tendo em conta que grande parte do seu trabalho está relacionado com o seu dia a dia, Adriana Silva explica que sente pressão para publicar conteúdos nas redes sociais, mesmo que os seguidores não o façam. Mas a youtuber tem conseguido fazer uma gestão entre o online e offline e os seguidores até veem com bons olhos este equilíbrio.

“Tenho vindo a conseguir ter a capacidade de me desligar uma vez por outra e permitir ficar offline o tempo que acho necessário. É engraçado ver que os meus seguidores apreciam isso”.

Do ballet para a produção de conteúdos

Desde os três anos que Adriana da Silva via no ballet uma certa magia, e a partir dos oito passou a olhar para a modalidade até numa ótica mais profissional. “Treinava todos os dias da semana, por vezes duas vezes por dia e tinha vários exames, espetáculos por mês”, conta, revelando que a sua vida era a dança.

Na altura, o seu sonho passava por ser bailarina profissional, formar-se no conservatório e, quem sabe, ser uma bailarina ou coreógrafa muito famosa e conceituada. Isto seria o “mundo ideal” de Adriana da Silva quando era mais nova.

A verdade é que tudo começou a mudar quando não entrou no conservatório “por muito pouco”, percebendo que tinha de seguir o plano B. Foi nessa altura que surgiu o interesse pela comunicação e o marketing.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.