O nível de segurança dos endereços do sector público passou de "aceitável" para "perigoso" entre Junho de 2008 e Julho de 2009, segundo a avaliação mais recente do Nonius.

O sistema desenvolvido pela Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra e Instituto Pedro Nunes analisou cerca de 4,5 milhões de endereços de IP e domínios ".pt" do sector público e privado - desde universidades, empresas, bancos e ministérios - e refere que, pelo menos, um em cada cinco computadores do Estado está vulnerável.

Esta solução informática utiliza uma escala com quatro níveis de segurança - aceitável, perigoso, muito perigoso e caótico - e testa dois tipos de vulnerabilidades: técnicas e de malware.

No total, foram analisados 17 tipos de vulnerabilidades técnicas e cinco espécies de software malicioso, refere a Lusa, que teve acesso aos resultados do estudo.

Entre sector estatal e privado, foram detectadas cerca de 65 mil vulnerabilidades. As configurações erradas de sistemas, relacionadas, por exemplo, com os controlos de acesso aos portais estavam entre as mais comuns.

"A vulnerabilidade significa que as possibilidades de ataque podem ir desde a fuga ou roubo de informação, à alteração de dados ou até à destruição de serviços", indicou o investigador Francisco Rente, em declarações à Lusa.

No sector privado a avaliação mantém-se no nível "perigoso", embora com um agravamento face aos dados de 2008. "Na escala quantitativa continua a ser perigoso, mas regista-se uma ligeira subida, estando mais perto do máximo", referiu o responsável.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.