O Irão lançou no domingo um serviço próprio de vídeos online que pretende ser uma alternativa ao Youtube. O site Mehr.ir quer promover o crescimento da cultura iraniana e ao mesmo tempo é o primeiro exemplo concreto de como no espaço de alguns meses a Internet alternativa do Irão pode conhecer a luz do dia.

O Mehr, que segundo vários meios de comunicação internacionais é sinónimo de "afeto", permite aos utilizadores iranianos carregar conteúdos, ver conteúdos de outras pessoas e aceder aos conteúdos da IRIB, a emissora nacional. Os conteúdos do site são todos aprovados pelas entidades ligadas ao regime iraniano e o principal público-alvo são os falantes da língua persa.

O serviço mais conhecido no ramo dos vídeos online, o Youtube, foi considerado como impróprio pelos governantes iranianos eleitos em 2009. O regime de Mahmoud Ahmadinejad tem feito uma "cruzada" contra alguns dos serviços mais populares da Internet, como o Facebook e até o Gmail, na tentativa de dar aos iranianos uma Internet livre de conteúdos impróprios à sua cultura e religião.

Em maio os serviços Hotmail, Gmail e Yahoo foram proibidos, e passados uns meses foi a vez de alguns serviços da Google serem bloqueados no Irão em protesto pelo filme que satirizava Maomé.

Depois de ter sido confirmado por fonte oficial do governo que o Irão está de facto a trabalhar numa rede nacional própria que pretende ser uma alternativa à Internet mundial, o lançamento do Mehr prova que dentro de alguns meses a intranet iraniana e outros serviços online próprios podem chegar aos utilizadores daquele país.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.