Aceder às contas bancárias e executar diferentes operações como movimentos, pagamentos e outros serviços através de aplicações para smartphones não é propriamente uma novidade. Mas as entidades bancárias oferecem, desde o ano passado, a possibilidade de abrir contas sem a necessidade de se deslocar ao balcão. Pode fazê-lo através de aplicações de smartphone ou nas páginas dos próprios bancos.

Segundo as diretrizes do Banco de Portugal, após a entrega dos documentos, enviados digitalmente, a identificação do titular tem de ser feita através de videoconferência. O sistema funciona da mesma forma para outros serviços, nomeadamente, contratos de crédito ao consumo ou aplicações de investimento.

Fazendo um balanço de quase um ano desde o anúncio do protocolo, os bancos têm aderido de forma tímida, apresentando as suas apps e serviços online. Sendo uma medida para combater a burocracia, as entidades que já disponibilizam o serviço optam por manter a informação de adesão ao mínimo, através de passos simples. E compreende-se, pois, independentemente do sistema, a abertura apenas fica validada depois de uma entrevista em videoconferência com um operador, onde eventualmente devem ser esclarecidas dúvidas finais. “A componente humana acaba por tranquilizar as pessoas que possam ser mais céticas quanto aos serviços online”, afirma Erik Burns, diretor de comunicação do Millenium BCP.

Serviço 100% digital
O processo é bastante semelhante em todas as entidades bancárias. Terá de preencher os dados pessoais, selecionar o objetivo da conta e a origem dos fundos, seguindo-se o envio de imagens dos documentos de identificação, comprovativos da morada e declaração da entidade patronal. Com os documentos submetidos terá de esperar o contacto do banco e marcar a videoconferência para ultimar a identificação do titular. Em norma geral, o valor do depósito mínimo será semelhante ao sistema tradicional de abertura de conta.

O banco Atlântico Europa foi o primeiro a introduzir as diretrizes do Banco de Portugal e a permitir abrir uma conta pela internet ou através de aplicação (iOS e Android). No seu site oficial é referido que uma conta, livre de comissões de manutenção, pode ser aberta por videochamada em 15 minutos – média semelhante a outros serviços. O banco utiliza a plataforma ID Now, entidade especializada em identificação por vídeo e validação de assinaturas em dispositivos mobile.

Durante a entrevista com o operador, é utilizada uma assinatura eletrónica qualificada, onde o cliente deve assinar em tempo real, e depois tirar uma fotografia através da própria aplicação do banco. Para manter a segurança, a chamada de vídeo só é validada se for feita sem interrupções e em tempo real pelo próprio operador. Durante o processo o agente manipula o flash e alterna entre as duas câmaras do smartphone para identificar os elementos do documento. No primeiro mês deste serviço digital, o banco havia registado cerca de 150 pessoas a utilizar o sistema.

No grupo Millenium BCP e ActivoBank, que aderiu recentemente ao sistema, qualquer pessoa com mais de 18 anos, e portador do cartão de cidadão, pode abrir uma conta através da sua nova app do Millenium (nos sistemas iOS e Android) e ActivoBank (iOS e Android). O site está a ser trabalhado para oferecer mais funcionalidades no futuro. As duas entidades bancárias garantem este serviço mesmo aos fins-de-semana e feriados, estando um agente à disposição dos clientes para a entrevista online e verificação da identidade. Nos dias úteis o atendimento é das 8 ás 23, e aos fins-de-semana das 10-18 horas. Segundo Erik Burns, a aposta da sua plataforma vai para a simplificação do processo, podendo o cliente abandonar e retomar em qualquer fase e mais tarde completar as informações em falta.

O BNI Europa foi a mais recente entidade bancária a aderir ao sistema, mantendo o serviço de segunda a sábado das 14 às 22 horas no seu site oficial e também nas apps (iOS e Android). O banco reforça a segurança do serviço através de uma parceria com a Digital Sign, entidade certificadora portuguesa para a emissão de assinaturas digitais. No processo de abertura de conta, os clientes têm acesso a um certificado digital que pode ser utilizado pelo cliente em diferentes relações contratuais com o banco, com apenas um código enviado por SMS, segundo adiantou Paula Landeiro, a porta-voz do banco ao SAPO TEK.

O BNI afirma que este serviço é apenas o primeiro passo no objetivo de desafiar o paradigma bancário tradicional, pretendendo lançar novos serviços tecnologicamente avançados. E acredita que nos próximos anos o sistema bancário vai sofrer profundas alterações. “Desde que disponibilizámos a videoconferência, 15% das contas à ordem de clientes residentes foram abertas com recurso a esta funcionalidade”, refere a entidade, prometendo elevar a percentagem à medida que esta ganhe mais visibilidade.

“Ainda existe alguma resistência a estes serviços para determinadas faixas etárias, que estão mais habituadas a dirigir-se e a tratar tudo em balcões. No entanto, naquele que é o nosso segmento alvo, sentimos uma grande apetência por este tipo de ferramentas de relação remota e online”, refere Paula Landeiro, na disponibilidade do banco em facilitar o quotidiano dos seus clientes.

A afirmação vai de encontro à opinião de Erik Burns, do Millenium BCP, de que o futuro de adesões estará em linha com esta tendência online. “A transição para o digital é algo que os próprios clientes exigem. As pessoas entendem bem o serviço e agradecem a facilidade em iniciar ou reforçar a relação com o banco pela via digital, a partir de qualquer local”, acrescenta.

Na entrevista concedida ao SAPO TEK, o BNI afirma que a média de duração de uma chamada de videoconferência é de oito minutos. O processo de abertura de conta fica concluído em 48 horas, ultrapassados todos os requisitos, mas o banco afirma que já houve casos de abertura no próprio dia.

O sistema do Banco Best também requer uma validação do telemóvel durante a videochamada, passando a autenticação para a via eletrónica e por SMS. Após o envio da documentação necessária digitalizada, o cliente inicia uma videochamada para ultimar a abertura da conta. Em alternativa pode utilizar a respetiva app em versões iOS e Android.

O Novo Banco também permite a validação de conta online, através do seu site oficial, num processo de quatro passos desde a entrega dos documentos à entrevista final. No Banco BIG também pode optar por abrir conta na aplicação (iOS e Android) ou no seu site oficial, sendo necessário um depósito mínimo de 500 euros para pessoas singulares ou 2.500 euros para empresas. Já o sistema do Montepio Geral não é totalmente digital. É possível submeter os dados e preencher os formulários, mas necessita de dirigir-se ao balcão para finalizar o processo e assinar os documentos.

Para tentar perceber melhor o impacto da simplificação de abertura de contas de forma digital do lado empresarial, o SAPO TEK entrou em contacto com algumas empresas de mediação e consultoria. O porta-voz da GestiPeople, empresa que trabalha em diversas áreas de negócio e serviços, referiu que não tem a necessidade de abrir contas através das aplicações para os seus clientes, e quando necessário, trabalha diretamente com o gestor de conta do próprio banco. A mesma resposta foi dada por outros contactos efetuados.

De um modo geral, a abertura de contas em formato digital é um processo teoricamente simples, quando reunidas todas as condições. É sem dúvida mais um passo para a desburocratização do complexo sistema bancário. Os novos sistemas de assinaturas digitais e identificação por videoconferência são uma grande evolução na relação dos clientes com os bancos. Mas as entidades afirmam que ainda querem fazer mais nesta mudança de paradigma.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.