A informação relevada indica que a Agência de Segurança norte-americana identificou a área dos jogos online como "terreno" propicio às atividades terroristas. As conclusões terão suportado um plano de vigilância nesta área, também para a agência norte-americana como para os serviços de inteligência do Reino Unido (GCHQ).



Jogos como o World of Warcraft, títulos na Xbox Live, ou a atividade em mundos virtuais como o Second Life ficaram sob o radar das agências e os seus utilizadores também. De acordo com mais estas páginas do acervo entregue ao jornal pelo agente da NSA Edward Snowden, as ações de vigilância permitiam recolher informação diversa do perfil do utilizador, lista de amigos ou mesmo dados biométricos, como registos de voz de cada jogador.



O plano de monitorização de atividades nos jogos online terá tido início em 2008, como revela o documento Exploiting Terrorist Use of Games & Virtual Virtual Environments, a que o agente teve acesso e que agora divulgou.



Ao que os mesmos documentos permitem concluir, não terão sido identificados indícios de atividade terrorista em nenhuma das ações de monitorização realizadas. Todas elas desenroladas sem o conhecimento das empresas responsáveis pelos conteúdos em questão.



As investigações terão no entanto permitido identificar um site dedicado ao comércio de cartões de crédito roubados, que acabou por ser encerrado.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.