Os números não enganam: o jogo online em Portugal está a aumentar a olhos vistos. De acordo com o último relatório do Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos (SRIJ), referente ao 1º trimestre de 2019, a atividade de jogos e apostas online gerou cerca de 47,3 milhões de euros de receita bruta, valor superior em 14,4 milhões de euros (43,8%) comparativamente ao período homólogo de 2018.

Mas este crescimento do jogo online está a ser acompanhada por uma outra tendência. Está também a aumentar o número de portugueses viciados que pedem para serem impedidos de aceder a estes autênticos casinos virtuais.

O relatório do primeiro trimestre de 2018 do SRIJ indica que a 31 de março do ano passado, e no conjunto das sete entidades exploradoras, encontravam-se autoexcluídos da prática de jogos e apostas online 21.1 mil jogadores registados. Neste ano, e no mesmo dia, esse número aumentou para 35,4 mil, o que significa um crescimento de 70%. Esta tendência também se verificou em 2017.

Citado pelo Jornal de Notícias, o psicólogo e coordenador do Instituto e Apoio ao Jogador, Pedro Hubert, explica que a maior parte destes jogadores têm uma idade compreendida entre os 18 e os 30 anos, com estudos e tendência para adições.

Estes números constam do mesmo relatório que no início de julho revelou que em 2018 os portugueses apostaram mais de seis milhões de euros em jogo. As operadoras de jogo online foram as responsáveis pela maior fatia de entrega de prémios, distribuindo 2.279 milhões de euros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.