A Black Friday chega já no próximo dia 29 de novembro e, para evitar a confusão das lojas e dos centros comerciais, são muitos os que aproveitam a ocasião para fazer as suas compras online. Em Portugal, por exemplo, mais de metade dos consumidores que pondera usufruir da “maratona” de descontos, pretende fazê-lo através da internet, tal como revelou recentemente a Google Portugal.

No entanto, a “febre das compras” pode deixar os consumidores vulneráveis aos cibercriminosos. Um estudo recém divulgado pela Kaspersky revela que, durante a época da Black Friday, o risco de serem vítimas de um ataque de phishing aumenta 24% em relação à média verificada ao longo do ano.

De acordo com a empresa de segurança, ao todo, os ciberataques aos sites de comércio eletrónico, que têm como alvo os seus utilizadores mais incautos, aumentaram 15% relativamente ao mesmo período em 2018. Tal como alerta David Emm, investigador principal de segurança da Kaspersky, quem usa plataformas de ecommerce deve manter-se atento, uma vez que a época se traduz num “período de intensa atividade para os hackers”.

Dentro e fora do "mundo" online, a atenção é essencial

Caso um site aparentemente conhecido pareça conter mais erros do que é costume, quer no texto apresentado na página, quer no seu link, é mesmo melhor não confiar nele, indica a Kaspersky. O “cadeado” que costuma aparecer na barra de endereço do browser é outro sinal importante, pois a falta da sua existência constitui um sinal de perigo.

Além dos sites de comércio online que pareçam suspeitos ou incompletos, a empresa de segurança recomenda atenção redobrada no que toca aos links encurtados que chegam, por exemplo, através do email e que podem ocultar o reencaminhamento para websites maliciosos. Assim, para evitar ser redirecionado para uma página de phishing, os utilizadores devem escrever manualmente o endereço no seu browser.

Permitir a memorização das palavras-passe e até dos números de cartão de débito ou crédito por parte do navegador online pode parecer uma opção conveniente. Contudo, a empresa segurança indica que tal decisão é imprudente, pois pode vir a comprometer a totalidade dos dados do utilizador caso seja vítima de algum ataque.

Fora do “mundo” das lojas de ecommerce, os cuidados em relação à atualização das aplicações, software e até do sistema operativo é um aspeto essencial. Segundo a Kaspersky, os padrões de segurança das versões antigas podem facilitar o acesso mal-intencionado por parte de cibercriminosos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.