Mais de metade dos dispositivos Android usados em todo o mundo apresentam vulnerabilidades não resolvidas pelos produtores de software e pelas operadoras de telecomunicações, que são normalmente lentos a disponibilizar atualizações das respetivas apps, devido a questões económicas.


A conclusão é da empresa de software de autenticação para dispositivos móveis Duo Security, com base num estudo realizado a mais de 20 mil dispositivos, usando a sua ferramenta X-Ray, que basicamente permite detetar vulnerabilidades em equipamentos com Android.


Jon Oberheide, CTO (chief technology officer) da empresa, explica que com base nos resultados inicialmente recolhidos com a X-Ray, a empresa extrapolou os números com base na informação oficial da Google sobre as várias versões de Android já instaladas a nível mundial.


"Se o utilizador tiver instalado uma app maliciosa ou se quem faz um ataque puder executar código através de uma falha de segurança no browser, estas vulnerabilidades permitem o controlo total do dispositivo" refere este responsável numa mensagem publicada no blog da empresa, considerando a situação detetada com o X-Ray como "séria".


"O problema é que estas vulnerabilidades podem permanecer nos dispositivos durante meses ou anos" refere Oberheide, já que os produtores de apps e as operadoras são "muito conservadores" no processo de atualização das apps para Android. As razões, ainda segundo Jon Oberheide, devem-se sobretudo aos custos de desenvolver, testar e implementar uma atualização.


"Se pensarmos em todos os possíveis dispositivos comercializados e todas as configurações e customizações, conseguimos imaginar os longos testes que têm que ser feitos antes de concretizar uma alteração ao software, por mais leve que seja" conclui.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.