De acordo com as últimas estimativas, a música online deve gerar receitas de 4,55 mil milhões de euros este ano em todo o mundo. Os números são da Gartner e a confirmarem-se representarão um crescimento de 7 por cento face a 2010.




Até 2015 a consultora acredita que as vendas de música digital vão continuar a subir, se bem que esse crescimento não terá ritmo suficiente para compensar a quebra de receita nas vendas de CD e de música através de outros formatos.



Para 2015 a Gartner prevê que a música digital renda 5,57 mil milhões de euros. Na mesma altura as vendas de CDs e outros formatos não deverão render mais que 7,23 mil milhões de euros, quando em 2010 valiam 10,85 mil milhões de euros.



No que se refere a este ano, os números atribuem ainda um forte impacto no crescimento das vendas de música digital ao sucesso de ofertas como o Spotify, um serviço de subscrição baseado em streaming.




O iTunes da Apple também continua a ser referido, tendo sido aliás o grande impulsionador do mercado da música digital, adotando um modelo que hoje é padrão na indústria.



Até 2015 estes modelos deverão continuar a gerar um impacto positivo no desenvolvimento do mercado de música digital. Nomeadamente os serviços por subscrição como o já referido Spotify, a Lastfm.com ou a Pandora, que estão a explorar novos mercados, como o das aplicações, seja para telemóvel ou rede social.




Em 2015 este género de serviços de música por subscrição devem valer quase um terço do mercado. O equivalente a 1,59 mil milhões de euros.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.