A muito grande maioria dos consumidores em todo o mundo (93%) está consciente da existência de ciberameaças financeiras, enquanto cerca de um terço já foram vítimas destes ataques. Os valores são avançados pela Kaspersky Lab no seu relatório From festive fun to password panic: Managing money online this Christmas.

Dos 32% de consumidores entrevistados a nível mundial que foram vítimas de ciberataques que lhes roubaram as suas credenciais financeiras, 26% nunca voltou a recuperar o seu dinheiro, de acordo com o questionário realizado pela Kaspersky Lab. Entre os fatores que podem colocar as finanças dos consumidores em risco, está a dificuldade em controlar as credenciais de pagamento, após terem sido usadas em diversas plataformas de ecommerce, e a variedade de métodos de pagamento disponíveis.

A verdade é que os consumidores podem sempre esforçar-se para manter sob controlo as suas informações privadas para pagamentos online, sublinha a empresa de segurança numa nota de imprensa. Os resultados da análise indicam que mais de metade das pessoas (54%) está preocupada com o facto de os hackers poderem aceder aos seus dados financeiros. Porém, 36% daqueles que foram inquiridos a nível mundial não se lembram dos websites ou apps onde inserem os seus dados "e muitos nem se esforçam por se lembrar".

Como os consumidores tentam garantir que as suas credenciais de pagamento são fáceis de recordar e encontrar, 20% destes prefere guardá-las diretamente nos seus dispositivos, o que faz com que fiquem gravadas e que lhes consigam aceder mais tarde. "Contudo, se os dispositivos forem roubados ou perdidos, os consumidores ficam em risco de perder as suas informações pessoais e o seu dinheiro; qualquer pessoa passa a poder ter acesso à sua conta bancária, caso encontre as credenciais de acesso memorizadas diretamente no website ou nas notas do seu smartphone", avisa a Kaspersky Labs.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.